Bahia: Jovem mata avó a facadas, fere avô e se joga do 4ª andar de prédio

Um rapaz de 20 anos matou a avó a facadas, feriu o avô e, em seguida, se jogou do 4º andar do prédio onde morava com os parentes. O caso aconteceu no Condomínio Terrazzo Verona, localizado na Rua Bicuiba, bairro de Patamares, em Salvador (BA), na noite de sábado (6).

De acordo com o G1, a vítima fatal Rosana maria de Vasconcelo Moreira Lima, 55 anos, foi atacada pelo neto enquanto dormia. A polícia informou que o avô foi agredido quando tentou socorrer a esposa.

Francisco Moreira Lima Filho, de 48 anos, foi levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), enquando o jovem que se jogou do prédio foi encaminhado para o Hospital Menandro de Faria. Não há informações sobre o estado de saúde deles.

O Departamento de Polícia Técnica (DPT) recolheu o corpo da vítima e Polícia MIlitar confirmou o ocorrido, destacando que a área foi isolada para realização da perícia.

Jovem que matou avó e se jogou de prédio diz que não lembra do crime

O rapaz de 20 anos que matou a avó, feriu o companheiro dela e depois se jogou do 4º andar de um prédio no bairro de Patamares, em Salvador (BA), afirmou à polícia que não se lembra do que ocorreu no dia do crime.

De acordo com o G1, Kayure Delano de Vasconcelos Bezerra Filho disse em depoimento que só se deu conta de que algo tinha ocorrido quando se viu caído sobre uma vegetação que fica no entorno do prédio onde morava. O jovem teve a prisão preventiva decretada e será encaminhado para o sistema prisional ainda nesta segunda.

“Ele deduz que pulou, porque estava lá embaixo machucado. Quando se jogou, a queda foi amortecida por uma vegetação. Ele poderia estar morto”, disse a delegada Marta Rodrigues Menezes de Aguiar, coordenadora da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), em entrevista coletiva na manhã de hoje.

A polícia trabalha com a suspeita de que o jovem tenha tido um surto psicótico. A delegada Milena Cálmon, que é titular da 1ª DH/Atlântico, revelou que será apurada a origem desse surto. “Se foi em decorrência de drogas ou problemas mentais”, afirmou.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *