Pastor evangélico de MT estupra, engravida enteada e foge para o Acre

Depois do padre polêmico, que postou uma foto com arma em uma rede social, mais um líder religioso de Mato Grosso causou polêmica. A Polícia Civil de Cáceres (320 km a Oeste de Cuiabá, capital) recebeu uma grave denúncia de duas irmãs, 13 e 18 anos: elas afirmam que foram abusadas sexualmente pelo padrasto, um pastor evangélico de 49 anos.

De acordo com infrmações veiculadas pelo site local Repórter MT, a vítima mais velha engravidou do estuprador. “A denúncia foi realizada na noite de terça-feira (2), após a mãe das vítimas descobrir os abusos e mandar o homem sair de casa”, diz um trecho da reportagem.

De acordo com informações da polícia cedidas ao veículo, os abusos ocorriam quando a mãe estava fora, trabalhando em uma casa de família, onde era cozinheira e cuidadora de idosos.

A vítima mais velha contou que o agressor – que é pastor da Igreja Evangelho Quadrangular – além de abusar sexualmente dela, tocava nas partes íntimas de sua irmã de 13 anos. Ela não podia contar nada para sua mãe, sob ameaça de morte.

O pastor ainda obrigou a enteada a abortar o filho ao descobrir que ela estava grávida. A vítima conta que sempre ficava quieta quando a mãe perguntava quem era o pai. A criança foi registrada somente com o nome da mãe.

“Após o bebê nascer, a mãe da vítima notou que a criança se parecia com o pastor e obrigou a filha a dizer quem havia lhe engravidado. A mãe foi tirar satisfação com o marido, mandando ele embora de casa, porém, o homem a agrediu e fugiu logo em seguida”, noticiou o Repórter MT.

De aordo com as vítimas, o estuprador pode ter fugido para Rio Branco, no Acre, onde moram familiares. O delegado Wilson de Santos disse que o caso foi transferido para a Delegacia da Mulher, que fica responsável pelas investigações.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *