Rio Branco, Acre, 27 de outubro de 2020

Zé Roberto diz que vai conversar com campeãs para definir o time

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A escolha das 12 jogadoras inscritas na seleção feminina de vôlei para os Jogos Olímpicos não é exclusiva de José Roberto Guimarães.O treinador disse que, apesar de a comissão técnica ser responsável pela decisão, a definição da equipe passa inclusive por conversas com as atletas mais experientes do time.

“Peço opinião das mais velhas. Não que elas decidirão, para isso tem a comissão técnica. Mas ouvir é sempre bom, elas estão dentro de quadra, vendo, e tem um parâmetro diferente da gente que está lá fora”, disse Zé Roberto após a terceira vitória seguida em três jogos do Grand Prix de vôlei (Itália, Japão e Sérvia ).

“Tem o sentimento da equipe que é importante, que a gente não pode menosprezar, tenho que ver como o time se sente melhor na composição em quadra”, completou o treinador tricampeão olímpico.

Até o momento, das 19 convocadas em abril, duas já deixaram a equipe e uma ainda vai se apresentar.

Alegando motivos pessoais, a oposta Monique pediu dispensa. Neste sábado (11), por problemas físicos, a central Carol foi cortada. E a levantadora Fabíola, que teve uma filha em 19 de maio, vai se apresentar dia 20 de junho para os treinamentos.

Neste domingo (12), a seleção brasileira já viajou para Macau, na China, onde, a partir da próxima sexta (17), enfrenta Sérvia, Bélgica e China na continuação do Grand Prix. Partidas que ainda servem como teste para definir a equipe que vai para a Olimpíada, em agosto. Ainda é preciso fazer cinco cortes.

“Quem der mais estabilidade para o time, quem estiver no melhor momento, vai. Olimpíada é momento. Importante quem está do lado, em quadra, dar segurança. A gente sente das jogadoras, conversa, pede opinião”, disse Zé Roberto.

Entre as atuais jogadoras da seleção, quatro são bicampeãs olímpicas (Thaísa, Fabiana, Sheilla e Jaqueline) e outras cinco foram campeãs em Londres-2012 (Dani Lins, Tandara, Natália, Fê Garay e Adenízia).

“Vamos ver no decorrer dos jogos como vai ser o comportamento delas. Uma coisa é a Superliga, outra é quando começa a jogar internacionalmente. A gente só vai ter um parâmetro quando começar a colocá-las para jogar contra a Rússia, a China, os EUA. Esses times vão exigir mais. Esse momento a gente vai começar a fazer isso”, explicou Zé Roberto.

Dentre as novatas que esperam conquistar a vaga para disputar a primeira Olimpíada está a ponteira Gabi, que se recuperou de lesão e voltou a jogar bem neste domingo, contra a Sérvia.

“Legal é que o Zé dá oportunidade para todo mundo. Todo mundo que está no banco teve oportunidade de mostrar trabalho. Agora vai afunilar cada vez mais a briga”, concluiu Gabi.

 

Com informações da Folhapress.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.