Rio Branco, Acre, 28 de outubro de 2020

Cunha recebeu propina de Eike Batista, diz delator da Caixa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A delação premiada de Fábio Cleto, ex-vice da Caixa Econômica Federal, relatou que uma das empresas de Eike Batista pagou propina a Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e a ele próprio. O objetivo do ex-bilionário e do deputado afastado foi obter recursos do fundo de investimentos do FGTS.

De acordo com a Folha de S.Paulo, o ex-vice da Caixa era membro do conselho do FI-FGTS e tinha participação direta nas liberações dos recursos para empresas. A delação dele foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal e está sob sigilo.

A empresa em questão, ainda de acordo com a Folha, foi a LLX, que operava na logística do grupo de Eike. E a propina foi referente a aquisição de debêntures de R$ 750 milhões, que são uma espécie de título de dívida.

Cleto disse que recebeu ao menos R$ 240 mil da LLX e que Eduardo Cunha também recebeu, sem informar o valor.

As defesas de Cunha e Eike negam as acusações.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.