Rio Branco, Acre, 28 de outubro de 2020

Acre registra duas mortes por H1N1 em 2016

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Duas pessoas morreram no Acre em decorrência do vírus H1N1 em 2016, segundo o informe mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde. Os dados apontam 1.121 mortes causadas pelo vírus em todo o país de janeiro a 18 de junho.

Segundo Tânia Bonfim, do Setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), as duas mortes ocorreram em Rio Branco entre os meses de abril e maio. Ela, contudo, não pôde passar mais informações sobre a identidade das vítimas.

“A gente faz notificação de todos os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave nos hospitais do estado. Durante os meses de abril e maio tivemos vários casos de influenza A e H1N1, mesmo período em que tivemos esses casos no Sul do país. Porém como nossos exames são feitos no Instituto Evandro Chagas demora a chegar e quando chega é que fazemos os boletins”, explica.

Segundo ela, a Sesacre espera que os casos diminuam a partir do mês de junho. No dia 30 de abril, o Acre entrou na campanha de vacinação contra os vírus A/H1N1, A/H3N2 e influenza B, inicialmente a meta era imunizar 170.024 mil pessoas que fazem parte de grupos prioritários, como idosos, crianças, gestantes e povos tradicionais.

A campanha, entretanto, chegou ao final do prazo, 20 de maio, sem atingir a meta de cobertura vacinal, estipulada em 80% do público-alvo, e teve que ser prorrogada até 10 de junho. Apesar de ultrapassar a meta, a campanha ainda foi mantida até esta quinta-feira (30).

Entenda o caso
No ano passado inteiro, o país registrou 36 mortes por H1N1; em 2014, tinham sido 163 mortes e, em 2013, 768 óbitos pelo vírus.

Ao todo, foram notificados 5.871 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por influenza A/H1N1 ao longo de 2016. A SRAG é uma complicação da gripe. Em uma semana, foram registrados 657 novos casos de SRAG por H1N1 no país.

Além das mortes pela influenza A/H1N1, houve ainda 110 mortes por outros tipos de influenza. São Paulo foi o estado com o maior número de mortes por influenza, correspondendo a 41,7% do total no país.


Vírus chegou antes do previsto

Este ano, o vírus chegou antes do previsto, atingindo uma população vulnerável por ainda não ter tomado a vacina.

Especialistas discutem várias hipóteses que podem explicar a antecipação da chegada do vírus, que vão desde fatores climáticos até o aumento de viagens internacionais que podem ter trazido o H1N1 que circulava no hemisfério norte. Mas não há uma explicação definitiva para a chegada precoce do vírus.


Número de mortes por H1N1 por estado

São Paulo: 475
Rio Grande do Sul: 132
Paraná: 112
Mato Grosso do Sul: 59
Goiás: 56
Rio de Janeiro: 46
Espírito Santo: 43
Santa Catarina: 42
Minas Gerais: 30
Bahia: 24
Pará: 23
Pernambuco: 14
Distrito Federal: 13
Paraíba: 11
Ceará: 10
Rio Grande do Norte: 7
Mato Grosso: 7
Alagoas: 5
Amapá: 4
Amazonas: 4

Com informações do Portal G1.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.