Rio Branco, Acre, 28 de outubro de 2020

Governo decreta estado de emergência devido à seca do Rio Acre

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, 7, o governador Tião Viana decretou estado de emergência em toda a bacia do Rio Acre devido à seca do rio, que já é a maior dos últimos 45 anos. A medida se dá pouco tempo após o decreto de alerta, e agora segue para reconhecimento da Defesa Civil Nacional e do Ministério da Integração.

Ainda nesta quinta-feira, o Rio Acre registrou na capital 1,88 metro de profundidade. A medição está 40 centímetros abaixo da registrada no mesmo período de 2005, quando houve a maior seca até então. Segundo estudos preliminares, quando o período de estiagem chegar ao seu auge, em setembro, o Rio Acre pode atingir 1,25 metro de profundidade.

“O decreto nos autoriza a ter um reconhecimento da Defesa Civil e nos permite uma parceria e divisão de responsabilidades, inclusive logísticas. Se forem necessárias mil horas de voo de helicóptero, vamos ter divisão; se precisarmos de um custo adicional para as brigadas ou equipamentos emergenciais, teremos um trâmite mais ágil de aquisição e a solidariedade financeira compartilhada com o governo federal”, explicou Tião Viana.

Abastecimento vira prioridade

O diretor-presidente do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa), Edvaldo Magalhães, explica que hoje já há uma redução de 20% da capacidade de tratamento e distribuição de água na capital em virtude das mudanças que têm sido feitas contra a seca. O governo prepara um investimento de R$ 650 mil para que o abastecimento não seja prejudicado.

“Estamos com uma luz amarela e uma vermelha. Quando finalizarmos a mudança no sistema de captação, pode ser que sejamos capazes de elevar mais a produção, mas não vamos conseguir neste período de estiagem produzir 100% daquilo que produzimos. Estamos fazendo um esforço enorme para garantir a regularidade do abastecimento”, conta.

O governo federal já tem auxiliado o estado. O superintendente da Agência Nacional de Águas (ANA), Rodrigo Flesha, esteve nas estações de tratamento de água (ETA I e ETA II) para conhecer o processo de captação e produção, fazendo um relatório técnico do que deve ser adaptado junto com o Depasa.

“Nossa ideia é produzir uma nota técnica sobre as tomadas de captação de água do Rio Acre, constatando a necessidade de aumentar mais captores flutuantes junto com outras melhorias físicas, inclusive das elevatórias de água”, explica Flesha.

O ministro da Integração, Helder Barbalho, também autorizou que a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) se dediquem ao máximo a apoiar o plano do governo do Estado no combate à seca, colocando à disposição seus técnicos.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.