Rio Branco, Acre, 25 de outubro de 2020

LULA: “NÃO ME PROVOQUEM, PORQUE POSSO VOLTAR”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou durante sua passagem por Petrolina, no Sertão pernambucano, que “uma maioria duvidosa assaltou o poder” ao votar pelo afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff, e que ainda é preciso convencer seis senadores para que o impeachment não seja concretizado; “Para ser vereador ou sindicalista tem que disputar a eleição e ganhar. Como é que o seu Temer quer chegar sem disputar?”, pontuou; Lula também voltou a insinuar que pode voltar a ser candidato nas próximas eleições presidenciais; “Se eles quiserem reduzir os direitos do povo brasileiro a pó, eu digo: Não me provoquem, porque eu posso voltar e ser candidato em 2018”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou durante sua passagem por Petrolina, no Sertão pernambucano, que uma maioria duvidosa assaltou o poder ao votar pelo afastamento da presidente eleita Dilma Rousseff e que ainda é preciso convencer seis senadores para que o impeachment não seja concretizado. Lula também voltou a insinuar que poderá se candidatar à Presidência em 2018.

“Dilma tinha três anos de mandato ainda. Os caras reuniram uma maioria e assaltaram o poder. Assaltaram por uma maioria muito duvidosa na Câmara dos Deputados”, disse Lula durante o ato público Semiárido contra o golpe – nenhum direito a menos, realizado em Petrolina, na noite desta segunda-feira (11).

O ex-presidente disse, ainda, que precisa de seis senadores para reverter o processo de impeachment contra Dilma. “Estamos empenhados em tentar convencer senadores a votar contra o impeachment. Precisamos convencer seis”, afirmou. A decisão do senado está marcada para agosto e caso obtenha 54 votos favoráveis – equivalente a dois terços do total – Dilma será afastada definitivamente da Presidência da República.

Ele relembrou que 75% dos eleitores petrolinenses votaram em Dilma Rousseff em 2014 e pediu que a população fosse à casa do senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) para pressionar o parlamentar a mudar seu voto e se posicionar contra o impeachment. FBC, que foi ministro do governo Dilma, tem sua base eleitoral no município. “Vocês aqui tem um senador. E não precisam gastar muito dinheiro. Vão à casa dele pedir para ele votar contra o impeachment, sugeriu Lula

Ele também questionou a legitimidade do governo do vice-presidente em exercício Michel Temer. “Para ser vereador ou sindicalista tem que disputar a eleição e ganhar. Como é que o seu Temer quer chegar sem disputar?”, pontuou. Lula também voltou a insinuar que pode voltar a ser candidato nas próximas eleições presidenciais. “Se eles quiserem reduzir os direitos do povo brasileiro a pó, eu digo: Não me provoquem, porque eu posso voltar e ser candidato em 2018.”

A mobilização em Petrolina integra o roteiro da Caravana da Democracia, que realiza, desde a semana passada, uma série de manifestações em 12 municípios do Estado contra o impeachment de Dilma. Nesta terça-feira, Lula participará de um evento em Carpina, no Agreste pernambucano e no dia seguinte participará de atos em Caruru, também no Agreste, e na capital, Recife.

 

 

 

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.