Rio Branco, Acre, 31 de outubro de 2020

Estado Islâmico admite morte de líder que era ‘ministro da guerra’ do grupo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Estado Islâmico (EI) confirmou pela primeira que um dos seus maiores líderes, Abu Omar al-Shishani, foi morto em batalhas em Mosul, no Iraque.

O anúncio foi feito pela Amaq, agência ligada ao grupo terrorista, de acordo com o serviço de monitoramento do terrorismo SITE.

Considerado um “ministro da Guerra” do EI, ele era um dos comandantes mais importantes e populares do grupo. Seu nome verdadeiro era Tarjan Tayumurazovich Batirashvili. Ele tinha nacionalidade georgiana e era chamado de “Omar, o checheno”.

O Pentágono e o Observatório Sírio de Direitos Humanos já haviam declarado Omar como morto em março, mas é a primeira vez que o grupo terrorista confirma a morte dele.

Segundo o Pentágono, ele morreu após ser ferido em um bombardeio aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Segundo o SITE, a última aparição de Shishani em um vídeo do EI foi em junho de 2014, anunciando: “O Califado vai chegar após a destruição das fronteiras”.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.