Rio Branco, Acre, 28 de novembro de 2020

‘Por mim, ele volta para casa’, diz mulher de PM de Cruzeiro do Sul baleado no RJ

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Mulher do capitão da Polícia Militar do Acre Alen Marcos Rodrigues Ferreira, de 41 anos, atingido por um tiro de raspão na testa no Rio de Janeiro (RJ) nesta quarta-feira (10), Lucélia Rocha, de 25 anos, quer que o oficial retorne para casa após ser liberado do Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador, onde está internado.

“Por mim, ele não fica mais e volta para casa, mas depois que sair do hospital é que vou conversar com ele. Quando eles [PMs] vão para lá há um prazo, não sei se ele será liberado, mas também vai depender da vontade dele”, diz Lucélia.

A jovem conta que já conseguiu falar com o marido e que ele teria dito que está bem. O susto, no entanto, tornou real um temor que ela tinha desde que o oficial se juntou ao grupo de 180 policiais do Acre enviados para atuar na Força Nacional durante as Olimpíadas.

“Fiquei com medo todos os dias. De manhã, já mandava mensagem pedindo que Deus protegesse ele. Porque é uma cidade muito perigosa e sabemos que só o fato dele ser policial é um risco, mas ele tinha vontade de ir”, desabafa.

‘Ele pode voltar’, diz PM-AC
Diante do que aconteceu com Ferreira, a Polícia Militar diz que o policial pode voltar ao estado e interromper a prestação de serviço no Rio de Janeiro. “Ele sofreu um dano físico e psicológico e os médicos da Força Nacional devem avaliar se ele ainda pode prestar esse serviço. Eu acredito que não, não por um determinação da polícia, mas por escolha pessoal dele”, alega o capitão Felipe Russo.

O tiro pegou de raspão na testa, mas, segundo Russo, teve fragmentos pelo rosto.  “Como militares, nos sentimos atingidos também por esses tiros porque poderia acontecer com qualquer de nós. Foi uma forma covarde, porque entraram no local dominado pelo tráfico e já foram sofreram os disparos sem chance de se defender”, destaca.

Entenda o caso
Ferreira é um dos 180 policiais militares enviados para trabalhar durante os Jogos Olímpicos de 2016. O comandante da PM de Cruzeiro do Sul, coronel Lázaro Moura disse que Marcos recebeu socorro e passa bem.

Além do PM, outros dois foram atacados a tiros após entrarem no Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio. Eles teriam entrado por engano na Vila do João.

Moura confirmou que o PM e outros dois foram atingidos. “Soubemos através de um áudio que ele postou. O que sabemos é que ele estaria bem e recebendo atendimento, mas os colegas foram atingidos com um tiro na cabeça. Não sabemos se ele vai voltar para o estado, por enquanto. Ele está sendo ajudado por companheiros que também são daqui e estão repassando as mensagens”, disse.

Abalada, a mulher de Ferreira, Lucélia Rocha, de 25 anos, diz que foi informada sobre o que aconteceu por um primo do policial. “A única informação que tenho é que ele está bem. Só sei disso. Ainda não consegui falar com ele”, falou.

O PM é casado há três anos com Lucélia, com quem tem um filho de dois anos. O capitão também é pai de um adolescente de 17 anos.

 

Com informações do G1.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.