Rio Branco, Acre, 27 de novembro de 2020

Ivete Sangalo elogia seu bumbum: ‘Vivia distante de mim, mas agora se aproximou’

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Ivete Sangalo, artista que recentemente exibiu sua boa forma com look decotado, está em paz com a balança. Em entrevista ao jornal “Extra”, a cantora que vai se apresentar na abertura da Paralimpíada Rio 2016, revelou qual é a parte do corpo que ela mais gosta. “Sempre gostei das minhas pernas e do meu colo. Mas agora estou amando os meus glúteos. Ele vivia muito distante, não queria se aproximar de mim”.

Adepta da calcinha compressora para esconder a barriguinha, Ivete se diz espantada com o peso que as mulheres dão ao envelhecimento. “Os homens não falam nisso, aceitam o cabelo grisalho, as rugas, lidam melhor com o assunto. Ganhei muita celulite depois da gravidez, mas adquiri tantas outras coisas. Quando começo a me condenar com a idade, lembro que veio meu filho, minha paz. Eu me sinto muito melhor hoje, com toda maturidade.

Relação com o marido e o filho

Em outro momento da entrevista, Ivete fala sobre seu casamento com o marido, o nutricionista Daniel Cady, relação que ela já garantiu ser livre de crise. “Confesso que, no início do nosso namoro, eu ficava fazendo as contas. Quando eu tiver 50, Daniel terá 40… Ferrou (risos). Mas nossas conversas são avessas a essas questões. É uma preocupação que hoje nem existe. Ele ria de tudo isso e dizia para eu tirar essas coisas da cabeça. Meu marido fala que nenhuma mulher da minha idade chega virada do show, brinca com filho e no outro dia acorda e vai malhar. E vamos combinar que não é grana, beleza nem idade. Relacionamento é o encaixe com a pessoa. E, se você encontra esse encaixe, meu bem, é uma delícia”.

A artista finaliza a entrevista falando sobre a educação do filho, Marcelo, de seis anos. Há poucas semanas, Ivete ressaltou que o menino é bastante maduro pra idade dele. “Filho, ninguém pode te bater nem você pode deixar ninguém te desrespeitar”. É tão difícil educar. Falo que é uma espécie de vigília. Em todo momento, é preciso condicionar a criança. E, quando conseguimos fazer isso com êxito, nos tornamos alguém melhor. Não tenho dúvida de que sou uma pessoa muito mais evoluída”.

Por Purepeople.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.