Rio Branco, Acre, 24 de novembro de 2020

Reforma ministerial de Temer começa pela AGU

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A aguardada reforma ministerial do presidente Michel Temer está prevista para começar pela Advocacia Geral da União (AGU). No Planalto, a saída do advogado Fábio Medina Osório é dada como certa. As justificativas são variadas e vão desde que ele nunca conseguiu se firmar no cargo, tem dificuldade de dialogar com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e enfrenta problemas internos na AGU, sendo alvo de inúmeras queixas, muitas delas levadas ao palácio.

De acordo com um interlocutor do presidente, não é possível deixar um cargo tão estratégico para o governo numa situação delicada. O presidente Temer ainda não conversou com Osório, mas ele já foi avisado sobre sua saída pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, com quem teve uma dura conversa nesta quinta-feira.

Procurada, a assessoria de Osório não quis comentar a possibilidade de sua saída. Na verdade, o ministro ainda tem esperanças que ser chamado pelo presidente Michel Temer para uma conversa, o que não deverá acontecer.

Uma das primeiras críticas a Osório foi o fato de ele ter sugerido estratégias que se revelaram ineficientes e equivocadas no caso da substituição do presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Ricardo Melo, no início da interinidade do presidente Temer, o que gerou uma série de problemas ao governo na estatal. Tais questões estão, aparentemente, resolvidas com a suspensão da liminar concedida pelo ministro Dias Toffoli, do STF, permitindo que Melo se mantivesse à frente da presidência da empresa.

Pouco depois, desagradou também ao Planalto a iniciativa de Osório de investigar a atuação de seu antecessor, José Eduardo Cardozo, criando mais uma frente de atrito. Além disso, ele teria “atropelado” seu padrinho, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, marcando uma “reunião de emergência” com Temer para despachar assuntos de rotina.

Apesar desta movimentação para a saída de Osório da AGU, a reforma ministerial que Temer pretende fazer não deverá ser ampla, apenas pontual.

 

Com informações do Estadão Conteúdo.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.