Rio Branco, Acre, 18 de janeiro de 2021

Bancários rejeitam proposta e mantêm a greve

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Bancários rejeitam proposta dos bancos e continuam em greve por tempo indeterminado. Segundo o sindicato da categoria no Acre, a falta de negociação tem aumentado a adesão de agências.

A oitava rodada de negociações entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e os bancários terminou sem acordo. Os bancos mantiveram a proposta apresentada no dia 9 onde foi ofertado reajuste de 7% nos salários e benefícios e abono de R$ 3,3 mil.

Segundo o sindicato dos bancários no Acre, a greve continua por tempo indeterminado por que a proposta não atende as reivindicações sociais e salariais.
“Eles não estão dando aumento real, nem reposição de inflação e não contemplam outras lutas sociais, como assédio moral, por exemplo”, disse a secretária geral do sindicato, Janine Lira.

Na pauta financeira, os bancários lutam por reajuste de 14,78%, mais do que o dobro do que foi ofertado pelos bancos. O percentual reivindicado representa 5% de aumento real, mais correção da inflação. Além disso, a categoria pede participação nos lucros e resultados de pouco mais de R$ 8 mil.

De acordo com o sindicato local, a greve se fortalece, com a falta de avanços nas negociações. “Em torno de 60% das agências do estado estão fechadas. A gente tem 47 agências fechadas, do Banco do Brasil, Caixa, Basa e bancos privados em todo estado”, afirma.

A greve dos bancários iniciou no dia 6 de setembro e alcançou a adesão de aproximadamente 12,7 mil agências em todo país e 54 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas, segundo sindicalistas. O número representa 54% das agências bancárias do Brasil.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.