Rio Branco, Acre, 20 de janeiro de 2021

Encontro no tribunal não dá em nada, e briga de R$ 15 mi por Valdívia segue no Palmeiras

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Depois de quase um ano de briga na Justiça, Palmeiras e Osorio Furlan Júnior enfim se encontraram nos tribunais para decidir qual o desfecho da briga por R$ 15 milhões envolvendo o meia chileno Valdívia. Mas o encontro não deu em nada.

A audiência de conciliação marcada pelo juiz Rodrigo Galvão Medina para o último dia 30 de agosto colocou as partes frente a frente, na 9ª Vara Cível de São Paulo.

Osorio Furlan esteve no local acompanhado dos advogados Sérgio Cunha e Caio Barros, enquanto o Palmeiras foi representado por seu representante jurídico André Muszkat.

Contudo, a proposta de conciliação colocada em discussão restou infrutífera, conforme termo de audiência anexado aos autos que correm no Foro Central Cível de São Paulo.

A discussão na Justiça já rendeu diversos episódios, com o empresário disparando para todos os lados, e o clube dizendo que não quer nem saber de devolver a quantia investida por Furlan.

Com isso, caberá à Justiça decidir quem está certo na briga que pode dar prejuízo enorme aos cofres palestrinos.

Osorio Furlan Júnior cobra do Palmeiras R$ 15 milhões por perdas e danos na negociação do meia Valdívia com o futebol árabe, em agosto de 2015.

Furlan ajudou a gestão de Luiz Gonzaga Belluzzo – inimigo político do presidente Paulo Nobre, que é apadrinhado por Mustafá, principal rival do economista nos bastidores palestrinos – a contratar o meia ao adquirir 36% de seus direitos econômicos, investindo R$ 6 milhões.

 

Com informações de Espn.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.