Rio Branco, Acre, 25 de novembro de 2020

Estudante de direito é indiciado por matar jovem de Cruzeiro do Sul em Goiânia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Polícia Civil concluiu o inquérito relacionado ao assassinato da jovem Saionara Santiago Rocha, de 24 anos. O namorado dela, o estudante de direito Pedro Frederico Andrade Salgado, de 23, que confessou o crime, foi indiciado. A vítima foi esfaqueada por ele no apartamento onde o casal morava, em Goiânia.

De acordo com o delegado Matheus Costa Melo, responsável pelo caso, Pedro responderá por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, com recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. Se condenado, ele pode pegar uma pena de até 30 anos.

“Ainda há alguns laudos a serem finalizados, mas depois é só encaminhá-los à Justiça através de ofício. Já temos a confissão dele e o relato de testemunhas que embasam a tese”, disse Melo.

O crime ocorreu na segunda-feira (3), no Setor Moinho dos Ventos. Após esfaquear a vítima, Pedro viajou para Britânia, região noroeste de Goiás, e retornou no dia seguinte. Quando entrou no imóvel, ligou para a polícia alegando que alguém havia matado sua namorada. No entanto, quando foi interpelado pelos policiais, acabou admitindo ser o autor.

Testemunhas
O pai de Pedro foi ouvido e disse que o filho mudava o comportamento quando ingeria bebidas alcoólicas e usava drogas. “Ele disse que o filho era uma pessoas tranquila, mas quando bebia e usava drogas ficava transtornado, bastante agressivo e mudava totalmente a personalidade. Mas sem isso, era um cara bacana”, afirmou o delegado.

O investigador contou ainda que o jovem chegou a ser internado duas vezes em clínicas de reabilitação devido ao consumo de entorpecentes. Ao ser apresentado à imprensa, disse que matou a jovem por que ela teria feito chacota com ele.

Duas amigas da vítima também relataram o mesmo que o pai do suspeito. Já a avó dele, que mora em Britânia, disse que o neto foi até sua casa após o crime, mas não comentou nada a respeito do que havia ocorrido.

“Ela informou apenas que ele estava diferente, muito calado. Após passar a noite na casa dela, o Pedro almoçou e voltou à Goiânia. Ela disse que ficou sabendo do crime somente quando o pai dele ligou avisando, depois que o neto já havia ido embora”, destacou Melo.

Suposta gravidez
Segundo o delegado, a investigação apontou que a mulher alegou recentemente ao namorado que estaria grávida. No entanto, exames feitos após a morte descartaram essa hipótese. A investigação no local do crime conseguiu desconstruir a versão do suspeito.

Os dois se conheceram há aproximadamente um mês, em um bar da capital goiana. A moça, que estava desempregada, havia acabado de chegar do Acre para morar em Goiânia. Há duas semanas, eles começaram a morar juntos. Nesse mesmo espaço de tempo, Saionara presenteou o namorado com a faca usada em sua própria morte.

Ainda conforme Melo, o suspeito estava tranquilo e chegou a deitar-se no sofá enquanto a perícia era realizada. Ele alegou que Saionara estava descontente com a vida e pediu que o namorado a matasse. A polícia, entretanto, discorda desta versão.

“Todas as evidência indicam que ela lutou bravamente pela vida, sobretudo porque o braço, a mão e o rosto dela estavam cortados, indicando lesões de defesa”, explica.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.