Rio Branco, Acre, 25 de novembro de 2020

Juíza marca audiência que pede cassação e inelegibilidade de Vagner e Ilderlei para o dia 7 de novembro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A audiência de instrução que irá julgar a AIJE -Ação de Investigação Judicial Eleitoral protocolada pelo MPE foi marcada nesta terça-feira,18, pela juíza eleitoral Adamarcia Machado para o dia 07 de novembro, às 14 horas  na sala de audiências da 1° Vara Criminal na Cidade da Justiça. A audiência poderá resultar na cassação e inelegibilidade dos envolvidos, além de outras sanções como multa e prisão.

despacho-2
No mesmo despacho, a juíza indeferiu o pedido produção de prova pericial realizado pelos réus Ilderlei Cordeiro e Zequinha Lima.

São réus no processo: o candidato eleito Ilderlei Cordeiro (PMDB) e seu Vice Zequinha Lima (PP), o prefeito Vagner Sales (PMDB), o chefe de gabinete Mário Neto, o presidente afastado do PSDB Edson de Paula e o vereador re-eleito Romário Tavares.

A AIJE postula que houve abuso de poder político e econômico por parte dos acusados, em desfavor o candidato do PSDB, Henrique Afonso, que teve candidatos a vereador cooptados pelo PMDB, o que teria favorecido o candidato Ilderlei Cordeiro.

A investigação teve início a partir da prisão em flagrante de Edson de Paula e Mario Neto pela PF, durante ação de cooptação do candidato à vereador pelo PSDB, Clebisson Freire. Na ação da PF, foram aprendidos cinco mil reais, usados, segundo Clebisson, para ‘comprar’ a sua desistência. No flagrante, a PF também encontrou em poder de Edson de Paula, o documento de desistência já preenchido por Clebisson, restando a sua protocolação junto ao TRE.

O áudio ambiente, gravado através do celular de Clebisson Freire prova o envolvimento de Vagner, Edson de Paula e Romário Tavares na ação de desmonte da chapa PSDB/Rede em favor de Ilderlei.

A defesa dos réus concentra-se na alegação da ilicitude da gravação ambiente e postula que não houve abuso de poder político e econômico.

Nas alegações conclusivas do MPE, promotor de justiça eleitoral Leonardo Honorato reafirma a licitude da gravação ambiente citando decisão proferida pelo STF em que aceita a admissibilidade da mesma como prova, já que não se trata de interceptação telefônica.

gibiAlém da gravação ambiente, constam como provas, as gravações das câmeras de segurança do Banco do Brasil e Lab Sul, que comprovam a conversa entre Edson de Paula e Clebisson Freire.

As gravações devem provar também que Vagner Sales MENTIU durante entrevista coletiva ao afirmar que a conversa teria ocorrido em sua residência, quando em verdade teriam acontecido na secretaria municipal de ação social.

Leia Mais sobre o caso:

Chefe de gabinete de Vagner Sales é preso pela Polícia Federal

Presidente municipal do PSDB e Chefe de gabinete de Vagner Sales são presos em flagrante por participarem de esquema de cooptação para Ilderlei Cordeiro

Delegado da Polícia Federal confirma a existência dos cinco mil reais

“O que está amarrado aqui, ninguém desfaz mais”, teria dito Ilderlei Cordeiro durante cooptação de vereador tucano

Ilderlei disse ‘amém’ para esquema de suborno comandado por Vagner Sales

Mario Neto e Edson de Paula são encaminhados à Penal

‘Bandido é bandido em qualquer lugar”, diz Major Rocha sobre Vagner Sales e PMDB

Vagner Sales mente sobre origem de dinheiro e declara que comprou parte da imprensa de Cruzeiro do Sul com ‘ajuda’ financeira

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.