Rio Branco, Acre, 28 de outubro de 2020

Áustria ameaça fechar fronteira com Itália contra imigrantes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Áustria ameaçou hoje (4) enviar um contingente de 750 militares para a fronteira com a Itália, na região de Brennero, para conter o fluxo de imigrantes. A notícia provocou tensão com as autoridades de Roma, que convocaram o embaixador de Viena como forma de protesto, justamente porque a Itália discute no Parlamento Europeu, nesta semana, medidas de apoio dos países do continente para gerenciar a crise de refugiados.

De acordo com o ministro austríaco da Defesa, Hans Peter Doskozil, em entrevista ao jornal “Kronen Zeitung”, o país deve ativar “medidas de controle na fronteira” em breve. “Acredito que muito em breve haverá controles nas fronteiras e precisará do envio do Exército”, disse o ministro. “As medidas serão indispensáveis se o fluxo de imigrantes da Itália não diminuir”, argumentou. Ontem, um relatório das Nações Unidas apontou que são baixas as chances do fluxo imigratório se reduzir nos próximos meses.

Segundo a ONU, 85 mil pessoas desembarcaram na Itália cruzando o Mar Mediterrâneo somente neste ano, número que representa um aumento em 20% no total de 2016, que já tinha sido considerado um ano recorde para chegada de refugiados. “Esta situação não é sustentável”, alertou o enviado especial da ONU para o Mediterrâneo, Vincent Cochetel. “Precisamos ter outros países, além da Itália, aceitando imigrantes e compartilhando a responsabilidade”, alertou.

Em resposta à Áustria, o Ministério das Relações Exteriores da Itália convovou o embaixador austríaco em Roma, René Pollitzer, para consulta. Oposição – A oposição italiana e os partidos nacionalistas, por sua vez, criticam o governo do primeiro-ministro Paolo Gentiloni, sucessor de Matteo Renzi, ambos do esquerdista Partido Democrático (PD).

Renzi e Gentiloni sempre defenderam o acolhimento de imigrantes por parte da Itália e mantiveram programas de assistência aos refugiados. Os dois, porém, exigem que a Europa também compartilhe a responsabilidade na crise imigratória, já que muitos estrangeiros desejam morar em outros países, e não na Itália. Por estar localizada no Mar Mediterrâneo, a Itália recebe diariamente milhares de embarcações de imigrantes do norte da África e do Oriente Médio, servindo de porta de entrada para a Europa. “Aconteceu exatemente o que a Liga tinha previsto.

A França e a Espanha não têm nenhuma intenção de receber os refugiados em seus portos, e a Áustria está pronta para enviar seu Exército para a fronteira de Brennero. A Itália de Gentioni e Renzi está isolada na Europa”, criticou Tony Iwobi, da legenda de ultradireita Liga Norte. (ANSA)

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.