Rio Branco, Acre, 20 de outubro de 2020

‘Super TPM’ existe e tem consequências graves; saiba mais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Apesar de ser um assunto ainda tabu, a ‘super TPM’ existe e pode trazer consequências bem sérias. De acordo com a BBC Brasil, as reações pré-menstruais de 5% a 8% das mulheres podem ser tão graves que chegam a ser fatais.

O cotidiano das mulheres que sofrem com o transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) de forma severa é bastante afetado. Segundo a revista ‘Veja’, Laura sofre desde os 17 anos com a síndrome. A forte TPM trouxe fortes crises de ansiedade e ataques de pânico. “Todo mês, eu me cansava tanto, que tinha que dormir 18 horas durante três dias. Comecei a ter pensamentos suicidas”, contou em entrevista.

O professor e ginecologista, John Studd, entrevistado pela BBC, disse que o diagnóstico de TDPM é muitas vezes “mal feito”. “Como os sintomas são cíclicos, os psiquiatras às vezes acreditam que seja um transtorno bipolar, e então as pacientes seguem um tratamento durante anos com terapias e antipsicóticos como o lítio”, afirmou.

O especialista completou dizendo que a síndrome é “quase sempre tratável”. Para dominar os sintomas cíclicos, Studd costuma receitar um gel cutâneo, com base em um tratamento hormonal de estrogênio. Por Lifestyle.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.