Rio Branco, Acre, 5 de agosto de 2021

Com ‘obrigação’ por título, Fla ‘deixa’ Brasileiro para focar em copas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O alto investimento feito pela diretoria fez com que o Flamengo iniciasse a temporada como um dos grandes favoritos na disputa dos títulos. O desempenho da equipe nas duas principais competições, porém, foi decepcionante e forçou mudanças. Zé Ricardo deixou o comando para Reinaldo Rueda assumir. Se Libertadores e Brasileiro fazem parte do passado, o time da Gávea tenta salvar o ano com ao menos um título nos torneios eliminatórios que ainda disputa: Copa do Brasil e Sul-Americana.

O caminho mais curto é a Copa do Brasil, já que o Flamengo está na final. Após empatar por 1 a 1 com o Cruzeiro no Maracanã, a equipe terá de definir o título no Mineirão. A taça da competição, conquistada em 2013, é a única “de peso” na gestão Eduardo Bandeira de Mello. A diretoria vê a repetição do feito como fundamental para tranquilidade e sequência do trabalho na próxima temporada.

A Copa Sul-Americana ainda está mais distante, já que Flamengo e Chapecoense iniciarão nesta quarta-feira embate pelas oitavas de final. A competição nunca foi uma prioridade, mas agora é vista com bons olhos por todos no clube. Evidentemente não teria o peso de uma Copa do Brasil, mas comemorar um título na atual temporada é fundamental.

E é justamente por isso que o Flamengo prioriza as competições eliminatórias nesse momento. A chance de um título, o que já não acontece no Campeonato Brasileiro, em que o time está a 15 pontos do líder Corinthians, pesa no planejamento de uma diretoria que entende que uma taça pode valer mais do que apenas uma vaga para a Libertadores.

A situação ficou clara no clássico com o Botafogo, no último domingo, quando o técnico Reinaldo Rueda decidiu poupar Diego, Willian Arão, Berrío, Everton, Vinicius Júnior e Réver. Alguns deles ainda entraram no decorrer do jogo, mas o Flamengo claramente não usou sua força máxima. O treinador justificou a opção por outro lado. Disse que buscava dar ritmo de jogo a atletas importantes e que não vinham jogando.

O problema é que a falta de resultados ameaça até mesmo a vaga no G-6 -o Flamengo é o quinto, com 35 pontos. O time tem três frentes para se classificar para a Libertadores: ganhando um dos títulos das copas ou ficando entre os seis primeiros colocados do Brasileiro. Ficar fora da competição internacional em 2018 seria problemático para o planejamento da próxima temporada, e transformaria a temporada atual em um problema ainda maior. Com informações da Folhapress.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!