Rio Branco, Acre, 28 de julho de 2021

Janot escondeu envolvimento de Miller com JBS, diz Gilmar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes disse nesta quarta-feira (6), em Paris, que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acobertou seu ex-braço direito, o ex-procurador Marcello Miller.

Miller é suspeito de ter atuado em favor de executivos da JBS envolvidos em delações premiadas no âmbito da Lava Jato. Ele é um dos principais citados em novos áudios gravado pelo empresário Joesley Batista e o lobista Ricardo Saud, que se tornaram públicos na terça (5).

“Todos sabiam do envolvimento do Marcello Miller nesse episódio, só o doutor Janot que o escamoteava, que o escondia”, afirmou Mendes, ao dizer que as supostas manobras do ex-procurador eram um “segredo de carochinha” em Brasília.

Mendes também acusou a Procuradoria-Geral da República, sob a batuta de Janot, de ter feito “contratos criminosos” com delatores da Lava Jato.

“Ele [Janot] fez jus a tudo o que ele plantou durante todos esses anos e isso vai ser a marca que nós vamos guardar dele: o procurador-geral da delação Joesley, desse contrato com criminosos e desta fita”, disse o magistrado.

LULA E DILMA

Sobre as denúncias apresentadas nessa terça-feira (6) por Janot contra os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff -entre outras lideranças do PT- Gilmar Mendes disse ainda não ter “dados” para analisar a causa. O magistrado, mais uma vez, preferiu fazer uma análise política da situação.

“Eu imagino que o procurador-geral pensou em fazer um grand finale, oferecendo várias denúncias, inclusive a última contra o presidente da Republica”, disse Mendes.

Irônico, o magistrado completou: “Acho que ele conseguiu coroar dignamente o encerramento de sua gestão com esse episódio Joesley”.

Gilmar Mendes, que preside o Tribunal Superior Eleitoral, encerra nesta quarta-feira (7) uma viagem oficial de uma semana pela Europa. Antes de chegar à capital francesa, ele passou por Bucareste, na Romênia, onde participou de uma conferencia internacional sobre processos eleitorais. Em Paris, o ministro encontrou autoridades responsáveis pelas eleições na França. Com informações da Folhapress.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!