Rio Branco, Acre, 5 de agosto de 2021

Musa do Festival da Farinha palestra na Viver Ciência Juruá

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Ela é negra, tem cabelo black e foi eleita a Musa do Festival da Farinha 2017. Seu nome é Dandara Santana, uma das jovens cruzeirenses convidadas para palestrar na Viver Ciência Juruá, a maior mostra de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação do Acre.

Durante a conversa  que ocorreu na sala do ‘Papo Jovem’, a musa falou do Movimento Negro e dos preconceitos enraizados na cultura brasileira.  Na oportunidade, Santana  relatou ainda seu processo pessoal de auto aceitação como mulher negra, e também de seu processo de transição capilar, que é quando a pessoa deixar de utilizar produtos químicos nos cabelos e assume o crespo natural.

“Tive a oportunidade de falar para os jovens sobre o que é ser mulher e negra na nossa sociedade, por que na maioria das vezes o preconceito e o racismo é por ignorância. Então é preciso falar sobre isso. As pessoas precisam conhecer mais sobre a cultura, sobre a história de pessoas negras, que foram importantes e que não são lembradas, para que a juventude de hoje possa no futuro ter mais respeito pelo outro”, conta.

Atualmente, Dandara é acadêmica de Língua Espanhola, na Universidade Federal do Acre. É uma jovem influente e que esbanja amor próprio, mas como ela mesma diz, antes nem ela  se aceitava.“Eu não aceitava meu cabelo crespo, eu tinha medo e vergonha do que as pessoas iriam pensar se caso eu usasse o meu black do jeito que ele é, então, eu acabava cedendo aos padrões convencionais e alisava ou pranchava ele. Só que isso escondia a minha identidade, eu não estava sendo eu, não me reconhecia”, explica.

A jovem conta que só a partir do momento que começou a conhecer a fundo a história e a importância das mulheres negras na história, é, que iniciou o seu processo de auto aceitação. “Eu sei que assim como eu pensava ainda há muitas meninas que se mutilam por não se enquadrarem nos padrões de belezas convencionais, sei que muitas se reconhecem na minha história, daí a necessidade de falar sobre isso em eventos como esse, cheios de jovens” destaca.

O Papo Jovem é um espaço da Viver Ciência que recebe jovens que são destaques na sociedade para conversar e relatar suas experiências de protagonismo juvenil em determinadas áreas.  Além de de Santana passaram pela sala, estudantes de escolas públicas do Vale do Juruá. O objetivo das conversas é estimular a juventude a desenvolver suas habilidades e se destacar na sociedade. As informações são da Agência de Notícias do Acre.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!