Rio Branco, Acre, 25 de julho de 2021

Polícia Federal e CGU realizam Operação Asfixia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Polícia Federal (PF) em regime de força-tarefa com a Controladoria-Geral da União no Acre (CGU/AC) deflagrou, nesta quarta-feira (25), a Operação Asfixia.

A ação tem como objetivo desarticular esquema de fraudes e irregularidades envolvendo licitações e contratos firmados pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) e pela Fundação Hospitalar do Acre (Fundhacre), com recursos federais.

Dentre os crimes investigados, estão a adulteração de cilindros de oxigênio, mediante transvase (quando o produto é transferido para outros cilindros em quantidade menor), sobrepreço em contratos, favorecimento às empresas suspeitas e deficiência nos controles de entrega dos cilindros contratados. Há ainda suspeita de um esquema de pagamento de propina envolvendo servidores estaduais. Até o momento, o prejuízo total identificado ao erário é da ordem de R$ 1.573.301,195.

Estão sendo cumpridos um mandato de prisão temporária, quatro de prisão preventiva, seis mandados de busca e apreensão, treze de condução coercitiva e afastamento das funções públicas de dois servidores e bloqueio de valores até o limite de R$ 1.573.301,95. Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Rio Branco/AC, Campo Grande/MS e também no Ceará, com a participação de cerca de 55 policiais federais e de 06 auditores da CGU.

NOTA OFICIAL
A Secretaria de Estado de Comunicação do Acre agradece o ato de função constitucional da Polícia Federal esclarecendo dúvidas de natureza administrativa e outros interesses que possam ter ocorrido em contrato no âmbito da administração estadual.
Afirmamos que o governo do Estado está aberto para colaborar com toda e qualquer atuação, cujo intuito seja o de corrigir possíveis falhas de naturezas ética e administrativa ocorridas no âmbito da administração pública.
A Controladoria-Geral do Estado (CGE) atua fortemente na busca do controle interno, mas não consegue alcançar todos os possíveis deslizes que venham a ser cometidos.
Por fim, reforçamos que não há necessidade de, sequer, aguardar mandado judicial para que a Polícia Federal tenha acesso a qualquer documento, pois há determinação expressa do governador Tião Viana para os integrantes da equipe de governo fornecer todas e quaisquer informações sempre que solicitadas, a bem da transparência que deve nortear a atuação do agente público.
Rio Branco/AC, 25 de Outubro de 2017.

Andréa Zílio
Secretária de Estado de Comunicação do Acre

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.