Rio Branco, Acre, 30 de julho de 2021

Acre mantém equilíbrio fiscal e fortalece economia em 2017

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O ano de 2017 chega ao fim com um sentimento de batalha vencida para o governo do Estado, mas com o olhar atento e sóbrio para a luta constante pelo desenvolvimento do Acre. Começou com reajuste e recomposição para diversas categorias de servidores, em fevereiro, e termina com as contas equilibradas e os salários em dia.

Só nos últimos 30 dias, o Estado injeta mais de R$ 650 milhões na economia local, com vencimentos de novembro e dezembro e o 13º salário. São 49.125 servidores, entre inativos e ativos, honrados durante todo o ano. Isso, durante o governo que mais contratou por meio de concursos e mais conseguiu aumentar os salários.

De 2011 até agora, foram admitidos mais de 12 mil trabalhadores por meio de concurso público no Estado. E nesta quinta-feira, 28, o governo convoca mais 128 concursados para a Saúde.

Nesta quarta-feira, 27, o governador Tião Viana confirmou o pagamento do salário de dezembro no próximo dia 29. Em um panorama nacional, este fim de ano não foi tranquilo para alguns dos estados brasileiros e todos tiveram que fazer mudanças e muito esforço para conseguir garantir os vencimentos de seus servidores.

Por exemplo, até a última semana, pelo menos cinco estados não conseguiram pagar ou estão parcelando o 13º deste ano – caso do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul, dois estados com grandes indústrias e possível arrecadação, mas que ainda não têm como honrar o trabalho de seus servidores. Além desses dois, Minas Gerais, Tocantins, Sergipe e Rio Grande Norte enfrentam problemas para fechar a folha deste mês.

Por isso, ao longo deste ano, Tião Viana fez questão de inúmeras vezes pontuar a importância de manter o equilíbrio de seu governo.

O Acre, há quase 20 anos, faz a opção democrática por uma política de desenvolvimento sustentável, com base econômica diversificada e inclusiva, agregando indústrias com produção florestal e de baixo impacto ambiental. Aliado a isso, uma equipe econômica mantém atenção constante nos gastos e leis fiscais, seja na contratação de novos servidores seja no aumento de salários.

Com essa política, o governo do Estado pôde garantir para este ano e o próximo mais de R$ 1 bilhão em investimentos no setor produtivo e outras áreas estratégicas, como educação, segurança e saúde.

Equação do desenvolvimento

Desde 2011, o Acre vem demonstrando que esse caminho para a produção dá resultados positivos. Em 2014, quando o Produto Interno Bruto (PIB) do estado apresentou aumento, a atividade agropecuária representou 10,7% desse valor total adicionado.

E em um olhar mais aprofundado, levando em conta esse anos de decisão democrática pelo projeto de governo da Frente Popular, tem-se mais resultados positivos. Em novembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) classificou o Acre como o quarto estado com maior crescimento acumulado do PIB entre os anos de 2002 e 2015, com aumento de 81,2% de sua economia.

Ainda em bons resultados na economia, o Acre conseguiu manter seu equilíbrio fiscal. Segundo divulgação deste mês do Tesouro Nacional, o estado manteve por quatro anos seguidos nota B na avaliação que examina as contas públicas do país. Fora o Acre, apenas outros cinco estados conseguiram manter o equilíbrio pelos últimos quatro anos.

Esse equilíbrio foi o que permitiu que o governo do Estado começasse o ano de 2017 com o impacto de mais R$ 124 milhões na folha de pagamento, por conta dos reajustes, recomposições, alterações em Plano de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR), além de vantagens adicionais que beneficiam os servidores acreanos das mais diversas áreas da administração pública.

Em fevereiro deste ano, a Assembléia Legislativa do Acre aprovou 13 projetos enviados pelo governo. As aprovações substituem os PCCRs da Polícia Civil e da Casa Civil, alteração do PCCR do Detran, reajuste para professores e técnicos da Educação, e, ainda, reajuste aos contadores, servidores da Procuradoria Geral do Estado (PGE), técnicos do setor agrícola, gestores de políticas públicas, além de demais profissionais com carreira de ensino superior e técnicos em gestão pública.

Investimentos

Tendo o equilíbrio em suas contas e honrando os servidores, o Estado tem maior possibilidades de avançar nos investimentos estratégicos, que fazem a economia desenvolver e garantem dignidade para as famílias, seja por meio do trabalho ou por ações de governo que garantam saúde, saneamento e segurança.

Por isso, o governador faz questão de exaltar sua confiança nos trabalhadores do Acre. “Os servidores públicos são o motor do desenvolvimento do Estado. Eles são responsáveis pelo fomento, pela organização, pela política de incentivo e a visão de desenvolvimento regional”, disse ele nesta quinta-feira, durante coletiva.

De fato, o trabalho coletivo tem permitido que o estado avance em projetos como o Saneamento Ambiental Integrado nos municípios de díficil acesso, com investimento de mais de R$ 100 milhões, por exemplo. Ou pode-se citar o setor agrícola, no qual estão sendo investidos mais de R$ 130 milhões. Todos esses projetos são possíveis também graças ao esforço dos servidores que fazem rodar as instituições.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!