Rio Branco, Acre, 28 de julho de 2021

‘Na falta de tu, vai tu mesmo”: Em áudio comprometedor Marcio Bittar responde à críticos da candidatura de Gladson Cameli

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Circula nas redes socais um áudio do ex-deputado Márcio Bittar (PMDB) em que o mesmo, supostamente responde à críticos da candidatura de Gladson no campo da oposição.

No áudio vazado, Márcio expõe um certo ‘desânimo’ com o pré-candidato ao governo perpassando a oposição.

“Vamos nos animar. A gente ficar o tempo todo ruminando… Nós não vamos chegar a lugar nenhum… Gladson não é nem de perto o candidato que eu gostaria de ter, mas é o candidato que eu tenho para derrotar o PT”.

Infelizmente o áudio não permite saber quais são as críticas dirigidas a Gladson e quem as fez, mas deixa absolutamente claro o pensamento da oposição: ‘não temos um bom candidato, mas é o que temos para derrotar o PT.’

É só mais uma variante da verdade, ao menos até agora, imutável em relação à oposição acreana: ‘Não temos um projeto para o estado. Nosso projeto é derrotar o PT. E ponto final’

Mas, se nos basearmos nas críticas que já circulam dentro e fora do campo político, é possível imaginar algumas, como por exemplo, sua inconstância e dificuldade em cumprir com as promessas feitas aos aliados. Fora do campo político, mesmo no Juruá, sua base eleitoral, a imagem carismática construída por Gladson começa a desmoronar. Do memso modo que uma figura de papelão não resiste à chuva, especialmente às acreanas, o marketing político de Gladson não tem resistido à exposição de ‘muro baixo’ que é uma característica da política no Acre. Em um evento político Porto Walter, por exemplo, ficou evidente que o encanto do sorriso fácil não se mantém sequer entre o trajeto entre o palanque o carro.

Mesmo entre aqueles que almejam uma ‘alternância de poder’ como justificativa para o voto em Gladson, já questiona-se ao preço a ser pago por isso quando sua capacidade administrativa for posta à prova.

Elogios à Temer

Dono de fazendas em sena Madureira e no Mato Grosso, Márcio Bittar é um entusiasta das reformas trabalhista e previdenciária.

Contra as leis trabalhistas, repete uma inverdade comum: de que a CLT – Consolidação das Leis Trabalhistas seja de ‘inspiração fascista’. Trata-se de uma crítica fundamentada especialmente no pensamento liberal burguês do rio e SP. Segundo estudiosos* da questão, a CLT, apenas igualou os direitos da classe dos trabalhadores brasileiros aos direitos já adquiridos no dito ‘mundo civilizado’ (Europa e EUA). A CLT não criou novas leis. Consolidou conquistas trabalhistas como: a jornada de oito horas diárias, o repouso semanal remunerado, a remuneração dos dias feriados, a pausa para alimentação, as férias, a fiscalização contra acidentes, o adicional de insalubridade, a proibição de discriminar no emprego mulheres casadas ou grávidas, a licença-maternidade, a estabilidade no emprego depois de dez anos – abolida depois do golpe de 64 – e, sobretudo, a instituição do salário mínimo. Conquistas que Bittar é contra.

Pecuarista, e político, Bittar também defende a reforma previdenciária, extinguindo o que ele chama de ‘privilégios’ de professores e servidores públicos. Esse é o posicionamento político do candidato do MDB ao senado.

Ouça o áudio:

 

*Sobre a CLT, leia as matérias:

SE VOCÊ ACREDITOU QUE A CLT É FASCISTA, VOCÊ PRECISA ESTUDAR HISTÓRIA

Inspiração fascista da CLT é mito, diz professor da USP Alfredo Bosi

 

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!