Rio Branco, Acre, 25 de setembro de 2020

“Essas pessoas são movidas por interesses políticos”, afirma coordenadora de Educação sobre os gestores do Juruá

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

A crise na Educação, no governo Gladson Cameli, se agrava a cada dia. Insatisfeitos com inúmeros desajustes e promessas não cumpridas somadas aos salários atrasados, os gestores decidiram paralisar as atividades escolares.

Para a coordenadora Regional de Educação, Ruth Bernardino, “essas pessoas são movidas por interesses políticos” e estão “tentando prejudicar o governo”. A afirmação foi proferida pela gestora durante entrevista concedida ao jornalista Alexandre Gomes, na manhã desta quinta-feira.

Em nota, o Conselho de Gestores das Escolas Públicas Estaduais de Cruzeiro do Sul afirma que a greve se dá por inúmeros motivos, como a lotação e substituição irregular das merendeiras; atraso no pagamento das serventes terceirizadas; falta de repasse de material de limpeza e a falta de diálogo honesto, entre outros fatores.

Ainda segundo a coordenadora de Educação, a culpa do pagamento dos serventes está atrasado é da Cooperativa de Serviços Gerais do Estado do Acre (Coopserg). “A Secretaria de Educação tem o dinheiro para pagar os servidores, mas há um bloqueio devido à falta de repasse de informação da Coopserg”, endossou.

Ainda segundo Ruth, “as pessoas precisam entender que houve uma mudança de governo e, automaticamente, mudam as empresas e elas contratam quem elas querem”, disse.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.