Rio Branco, Acre, 27 de novembro de 2020

Deputado José Bestene pode dar a volta por cima e se tornar secretário de Saúde

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Secretária Mônica Feres estaria no cadafalso e perder o cargo porque não conseguiu apresentar resultados práticos à frente do cargo

Dança nas cadeiras

Para a semana que vem, no máximo no encerramento do recesso parlamentar, haverá novas mudanças na composição do governo de Gladson Cameli, com danças nas cadeiras de seu secretariado. A primeira a dançar seria a toda poderosa secretária de Saúde, Mônica Feres, que não teria tido tempo nem de esquentar a poltrona. Ela seria substituída pelo deputado José Bestene (PP), que já atuou no sistema como secretário no Governo de Orleir Cameli e saberia onde moram as corujas e capaz de fazer desenterrar a cabeça de burro que tanto emperra o sistema de saúde, segundo definição do próprio governador.

Ternos na tinturia

A notícia vazou porque o próprio governador Gladson Cameli teria telefonado ao primeiro suplente de deputado estadual, Elson Santiago, comunicando-o da possibilidade de o político vir a assumir o cargo no lugar de José Bestene. É claro que nenhum dos personagens querem falar abertamente sobre o fato, mas o certo é que já há quem comemore o retorno do deputado ao órgão. Pelo sim ou pelo não, Elson Santiago foi visto levando à tinturaria os velhos e surrados ternos utilizados em sete mandatos de deputados.

Educação no cadafalso

Outro cujo cargo que estaria pela bola “as” seria o de Educação, do professor Mauro Sérgio. A nomeação, para uma diretoria do órgão, de Alércio Dias, político experiente, com vários mandatos de deputado federal e estadual e que, também no governo de Orleir Cameli, exerceu a pasta, fez com que a situação de mauro Sérgio subisse no telhado. Uma das razões do empurrão do secretário rumo ao cadafalso seria o fato de a esposa do professor mandar no órgão mais que ele. O outro problema atende pelo nome de Kelly, diretora administrativa e financeira da Secretaria, que atropela as decisões do secretário. Há quem diga que a moça é forte por ter sido uma das poucas indicações ao governo feita pelo empresário Eládio Cameli, pai do governador.  

Controlador na mira

Outro que estaria a um passo da degola seria o controlador geral do Estado, Carlos Oscar Abrantes. Nada contra o rapaz, que é um fidalgo como fora seu pai, competente e dedicado. É que o novo desenho do governo estaria sendo feito para diminuir o empoderamento do conselheiro do Tribunal de Contas do estado (TCE), Antônio Malheiros, que seria o responsável pela indicação de Oscar.

Ricardo França

Dentro do Governo, é cada vez mais visível a estrela de Ricardo França, representante do Estado do Acre em Brasília e homem de confiança do governador Gladson Cameli, que estaria dando cada vez mais poderes ao auxiliar ao ponto de o rapaz ombrear-se em autoridade ao chefe do gabinete civil, José Ribamar Trindade. Além da confiança do governador, conta a favor de Ricardo França a forma cortês com a qual ele trata a todos, a dedicação ao governo e a firmeza com a qual trata os assuntos a ele encaminhados. É habilidoso, acessível e confiável.

Salvo pelo congo

Quem também esteve com o pescoço na guilhotina, da equipe de secretários do governador, foi o da Segurança Pública, coronel Paulo Cézar Santos. Sua saída do cargo chegou a ser cogitada, mas o secretário conseguiu se recuperar a partir da prisão de perigosos integrantes de facções, os quais foram presos aos montes nos último dias. Foi salvo pelo congo.

Sumido em Sampa

Por se tratar de inquérito para o qual foi evocado o princípio jurídico do “em segredo de Justiça”, não se pode citar nomes ou as antigas funções do acusado, mas a informação primordial, porque de interesse público, não se pode deixar de dar: está prevista, para os próximos dias, mais tardar o início da próxima semana, a prisão de um ex-grão vizir da política local. Sabendo que sua situação é por demais delicada, o cidadão já não está mais no Acre. Estaria em São Paulo, acompanhando a mãe, informam seus familiares que ficaram em Rio Branco. Mas o que se sabe é que, de São Paulo, o cidadão tomou um novo rumo e, quando o decreto de prisão sair, vai dar trabalho encontrá-lo. Outras pessoas, que permanecem no Acre, também devem ser presas – ou seja, voltar à prisão.

Categorias de peso

Em Rio Branco, leitor gozador manda email ao colunista dizendo que se a prefeita Socorro Neri for de fato candidata à reeleição, ela terá a sua disposição pelo menos duas categorias de peso: os donos de lojas de autopeças e de oficinas mecânicas. Foram as categorias que mais lucraram com a inércia da Prefeitura em tapar os buracos que infestaram a Capital antes de o município deflagrar a operação que visa tampá-los mas que dificilmente atenderá a totalidade das verdadeiras crateras em que algumas ruas de Rio Branco foram transformadas.

“Relevantes buracos”

Por falar em buracos, na lista das autoridades e personalidades a serem homenageadas pelo governador Gladson Cameli com a outorga da Ordem da Estrela do Acre, maior comenda do Estado e da qual o colunista tem orgulho de um dia ter sido agraciado com a dita cuja no grau de comendador, está o nome da prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino. A justificativa é de que a prefeita tem “relevantes serviços prestados”. Fosse pelos “relevantes buracos” em Tarauacá, talvez a homenagem se justificasse.

Perpétua Almeida versus Socorro Neri

Voltando à prefeita Socorro Neri: consta que a deputada federal Perpétua Almeida, uma das dirigentes locais do PC do B, não anda nada satisfeita com a alcaide. Consta que Perpétua o foi à Prefeitura, outro dia, para pedir que a prefeita indicasse onde gostaria que as emendas da deputada para o município pudessem ser alocadas. Pegou um chá de cadeia, não foi sequer recebida e saiu dizendo más e ruins da prefeita.

PC do B fora

Por isso, na Capital, dificilmente o PC do B marcharia com Socorro Neri caso ela saia para a reeleição. Se for candidata, a prefeita gostaria de contar com o professor Moisés Diniz, atual secretário municipal de Educação, como seu candidato a vice. Mas dificilmente o PC do B bancaria isso, o que levaria o professor a deixar a sigla em busca de outra legenda para compor a chapa de Socorro Neri.

Chapa PT-PSB

A outra alternativa de Socorro Neri, caso o PT não lance candidato à Prefeitura e venha apoiá-la à reeleição, é o secretário municipal de saúde, Otoniel. É visível a empatia entre a prefeita e o secretário e isso pode resultar numa chapa PSB-PT, o que sobrou da antiga Frente Popular do Acre.

Artêmio no PP

Quem está na pista, como se dizem os jovens, é o vereador Artêmio Costa, egresso do PSB. Ele procura uma nova sigla para poder concorrer à reeleição. Amigos seus informam que ele deve ir de PP, o partido do governador Gladson Cameli.

De olho aqui e lá

Ainda sobre eleições municipais; consta que o PP estaria de olho nome de Tião Bocalom como seu provável candidato a prefeito de Rio Branco. Bocalom é propenso à ideia, mas vive a esperança de vir tomar posse como deputado federal na vaga do Pastor Marcos, que está cassado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Acre e cuja sentença deve ser mantida em Brasília, pelo TSE. Pelo menos teria sido isso que fora garantida a Bocalom pelo chefe do gabinete civil de Jair Bolsonaro, Onix Loronzoni.

Como o gato da anedota

Consta que Bocalom vem agindo como o gato da anedota, que come com um olho no prato e o outro na comida do cachorro. Se não der certo tomar posse como deputado federal, aí, sim, ele seria candidato a prefeito de Rio Branco pelo PP, já que no atual partido, o PSL, o candidato a prefeito deve ser o coronel Ulysses Araújo.

Nome na mesa

Ainda sobre disputa municipal em Rio Branco, não se pode tirar da mesa de aposta o nome do deputado estadual José Bestene, que poderia vir a ser candidato pelo PP caso a alternativa Bocalom não se concretize. Se for de fato nomeado secretário de Saúde, quando chegar em maio de 2020, o velho Zeca Bestene será forte, forte muito forte politicamente falando.

Governadores na Expoacre

Se tudo correr bem, pelo menos dois outros governadores – o de São Paulo, João Dória, e do Amazonas, Wilson Lima -, além do governador Gladson Cameli, vão prestigiar a abertura da Expoacre 2019. Convidados por Gladson, eles teriam aceitado o convite estariam chegando ao Acre para a festa, que começa na manhã deste sábado (27). Deve vir também o governador de Rondônia, Coronel Marcos Rocha.

Cada um tem seu Dudé…

Nas redes sociais, circula um vídeo do Rouxinho, de nome Paulo Cesar, falando em nome do governo sobre a Expoacre, um evento que é resultado, segundo ele, “de trabalho, muito trabalho”. Quem viu o vídeo disse que Rouxinho é uma versão moderna do Dudé, o assessor governamental que mandou mais que certos governadores nos últimos 20 anos nos governos da era petista. Cada governo tem o Dudé que merece, disse um observador da política local…

 

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.