Vereador do MDB é criticado ao apresentar moção de aplauso para Bolsonaro por sua atuação na pandemia

O presidente Jair Bolsonaro vetou a lei, que previa o repasse a estados e municípios, de R$ 8,6 bilhões para o combate ao novo coronavírus. O Brasil já registra 32.688 mortes por Covid-19.

Mesmo assim, o vereador do MDB, João Marcos Luz, propôs nesta quinta-feira, 4, que a Câmara de Rio Branco aprove uma moção de aplausos a Bolsonaro, por sua atuação na pandemia.

“O governo federal tem feito, sim, a sua parte e isso tem chegado no bolso e na mesa dos riobranquenses. E, como forma de justiça, apresento essa moção de aplauso ao presidente”, afirmou João Marcos.

A proposta foi duramente criticada por internautas e pelos vereadores Eduardo Farias (PCdoB) e Rodrigo Forneck. Já o vereador do PSD, Anderson Sandro, apoiou a iniciativa de Luz.

“Só pode ser uma brincadeira essa proposta de moção de aplauso para alguém que nega a pandemia e desdenha da vida alheia. Espero que o vereador João Marcos não perca amigos para essa doença, como eu perdi. Sua proposta, vereador, debocha de quem enfrenta essa enfermidade. Ontem, o Brasil registrou mais de 1.300 mortes, devido a Covid-19. É tão absurda, que não deveria nem entrar em votação. Não dá para ficar de politicagem barata”, afirmou o líder do PT, Rodrigo Forneck.

Eduardo Farias se posicionou cobrando respeito. “Se não fosse o vereador uma pessoa séria, eu diria que ele está de brincadeira na sessão. O Brasil inteiro está vendo o comportamento do presidente Bolsonaro, diante da pandemia, de completa irresponsabilidade. Vossa excelência precisa respeitar essa casa e os seus colegas que contraíram a doença”, disse.

Nas redes sociais muitos internautas também se manifestaram. “João Marcos Luz sugere moção de aplauso ao Bozo, mas o vereador é que merece uma moção de vaia”, disse o jornalista Tião Vitor.

“O vereador João Marcos, a cada dia se superar com sua loucuras”, retrucou Arisandro Lima, complementando que “Bolsonaro deveria ser preso”.