Raul Seixas completaria 75 anos neste domingo (28). Confira a trajetória do artista

Neste domingo (28), o cantor e compositor Raul Seixas, um dos principais representantes do rock no Brasil, completaria 75 anos.

Em homenagem ao artista, às 16h, será realizada a live “Raulzito Beleza — Raul Seixas para Crianças”, uma adaptação do premiado projeto “Grandes Músicos para Pequenos”. A transmissão será através do canal oficial do Diversão em Cena no YouTube

A Warner, que lançou 4 dos 17 álbuns de Raul Seixas, também homenageará o astro disponibilizando um compilado de 30 músicas do artista em suas plataformas digitais. Com 1h40min de duração, a gravadora separou clássicos como “Maluco Beleza”, “Rock Das Aranhas”, “Sapato 36”, “Por Quem Os Sinos Dobram” e “O Dia Em Que A Terra Parou” – essa, que ganhou um lyric video em fevereiro deste ano, contabilizando mais de 1 milhão de visualizações no YouTube.

Trajetória

Raul, como um admirador do Rock and Roll desde criança, fundou o primeiro fã clube do cantor Elvis Presley no Brasil. Em 1962, já envolvido com o meio musical, fundou o grupo “Relâmpagos do Rock”, que depois passou a se chamar “Os Panteras”.

O primeiro disco da banda “Raulzito e os Panteras”, lançado em 1968, trouxe referências de Elvis Presley, Little Richard, Jerry Lee Lewis, sem deixar de lado o baião e os ritmos nordestinos. A criatividade, o misticismo e os ideais revolucionários e alternativos presentes nas letras críticas de Raul, tomaram o gosto das periferias das grandes cidades.

Em 1973, ele lança o seu primeiro disco solo, “Krig-há, Bandolo”, com músicas feitas em parceria com Paulo Coelho, que se tornou seu parceiro musical. O trabalho alcançou sucesso nacional, com as canções “Ouro de Tolo”, “Mosca na Sopa”, e a clássica “Metamorfose Ambulante”.

Em 1974, Raul e Paulo Coelho criam uma “Sociedade Alternativa”, um conceito de sociedade livre inspirada nos pensamentos do ocultista Aleister Crowler. O ideal inspirou a criação do disco “Gita”. Durante os shows de promoção do álbum, eram distribuídos panfletos criticando a sociedade. Em meio ao período da Ditadura Militar no país, Raul e Paulo Coelho foram caçados pelo DOPS, presos e exilados nos Estados Unidos.Em 1975, quando voltaram ao Brasil, tiveram a surpresa de que “Gita” havia vendido mais de meio milhão de cópias.

O disco “Novo Aeon”, lançado em 1975, também trouxe grande reconhecimento ao artista, com destaque para as músicas “Tente Outra Vez” e “Eu Sou Egoísta”. No ano seguinte, o cantor lança o álbum “Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás”, com algumas canções que abordavam temas místicos, como “Canto Para Minha Morte” e “Ave Maria da Rua”. Em 1977, lança “O Dia em Que a Terra Parou”, com dez faixas, entre elas, “Maluco Beleza”, música que lhe garantiu o apelido.

Envolvido com o ocultismo, e por ter estudado filosofia e psicologia, o artista colocava em suas letras seus ideais. Era conhecido por sua facilidade em compor e chegou a lançar um disco por ano, e entre estes diversos lançamentos, o último, “A Panela do Diabo”, realizado em parceria com o roqueiro Marcelo Nova, foi disponibilizado no ano de sua morte.

Com uma série de problemas relacionados ao consumo excessivo de álcool, ele faleceu no dia 21 de agosto de 1989, aos 44 anos, vítima de pancreatite aguda.

Raul Seixas foi homenageado no programa Som Pop, da TV Cultura, cinco dias após sua morte. Assista: