Durante entrevista Bruno agradece apoio e diz que não mandou matar Eliza

Em entrevista ao jornalista e pastor Antônio Klemer, o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, e novo reforço do Rio Branco (RBFC) para a temporada 2020 falou acerca da repercussão negativa de sua contratação pelo clube.

Em entrevista, Bruno afirmou que não esperava por uma apoio tão grande em sua chegada ao Acre. Ele voltou a reforçar a necessidade de trabalhar para sustentar os seus quatro filhos. “A receptividade aqui no Acre foi incrível e muito calorosa, ao contrário de muitos lugares”, afirmou.

Ao ser questionado sobre o caso que resultou na condenação, em 2010, por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver de sua ex-companheira Eliza Samudio, Bruno afirmou que não foi o mandante do assassinato.

“Eu fui condenado por ser o mandante do crime contra a Eliza, eu não mandei matar a Eliza. Eu deixei isso bem claro. Na época do crime, o delegado colocou uma motivação por conta de pensão alimentícia, mas até hoje não fizemos DNA do Bruninho, e se hoje for comprovado no DNA que ele é meu filho, eu vou continuar pagando pensão do mesmo jeito. Então, nunca foi por causa de pensão essa situação”, afirmou.

Ele afirmou que durante a sua estadia na prisão se perguntava para Deus o porquê de passar por aquilo tudo, mas hoje entende o que Deus fez. “Deus falou comigo e disse que ia aparecer uma situação que iria mudar a minha vida. Durante todo esse tempo que fiquei preso, eu fui muito perseguido no sistema prisional e a mídia até hoje me massacra, mas não sabe o que eu enfrentei. Na cadeia, você escolhe o caminho de Deus ou vira um monstro, mas graça a Deus, eu escolhi me apegar a Ele”, declarou.

Veja a entrevista completa AQUI.