Rio Branco, Acre, 21 de setembro de 2020

Frio avança pelos estados; previsão do tempo mostra que pode nevar em áreas pouco comuns no Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Aos poucos a chuva deixa de ser o destaque da meteorologia no Brasil e o frio intenso ganha as manchetes. Uma massa de ar polar avança pela região Sul e já há registro de 2 °C em Uruguaiana (RS) e de 1 °C em São José dos Ausentes (RS). Bom Jardim da Serra (SC) já registrou -2 °C no início desta quinta-feira, 20, e no Paraná a menor temperatura foi registrada em Palmas, com 7 °C. E todo esse frio vai ganhar ainda mais intensidade e avançar pelo Brasil.

O frio deve alcançar, inclusive, a região Norte. Quando isso acontece, o fenômeno é chamado de friagem. Cacoal, em Rondônia, terá mínima de 16 °C nesta sexta-feira, 21”, diz Celso Oliveira, da Somar Meteorologia.

No fim de semana, as temperaturas ficam abaixo de zero no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e áreas altas do Paraná. Áreas de trigo no interior da região Sul podem ser afetadas por essa onda de frio. No Paraná, o maior município produtor de trigo é Tibagi, cidade localizada na região dos Campos Gerais. Segundo o Departamento de Economia Rural do estado (Deral), mais da metade do trigo do Paraná está em condição vulnerável para frio, por conta da instalação mais precoce.

Ainda há previsão de neve, inclusive em áreas que não são tão comuns, como o norte de Santa Catarina e áreas do Paraná, próximas da divisa dos dois estados, como o município de Tijucas do Sul.

Consequências nos estados

Em Mato Grosso do Sul, o grande destaque vai para as temperaturas baixas que serão registradas no sul do estado e com chance de geada isolada para áreas de cana-de-açúcar. Em Mato Grosso, o problema do frio está relacionado à maturação do algodão. Será necessário esperar a temperatura subir para a aplicação de maturadores e, depois disso, desfolhar o algodão e retomar a colheita. Isso significa que, nesta semana, a colheita do algodão no Centro-Oeste deve avançar de forma mais lenta, inclusive em Goiás.

Em São Paulo e Minas Gerais, o frio não será tão intenso e não há expectativa de geada. A chuva continua, mas os acumulados previstos já não serão tão altos quanto os registrados até agora. No interior, a chuva traz problemas para a colheita da cana-de-açúcar, além de poder provocar uma indução floral indesejada no café. Afinal, depois desse episódio de chuva, o tempo volta a ficar bem seco e quente na semana que vem em grande parte do Brasil.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.