Rio Branco, Acre, 29 de setembro de 2020

Empresário que ajudou motorista de BMW a fugir é preso após resistir abordagem e tentar atropelar PMs no AC

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

O empresário Diego Henrique Gurgel Hosken, de 32 anos, foi preso na noite de domingo (23) pela Polícia Militar do Acre (PM-AC) por embriaguez ao volante, tentativa de homicídio e direção perigosa no bairro Placas, em Rio Branco.

Hosken é investigado pela Polícia Civil por ter ajudado Ícaro José da Silva Pinto a fugir após o atropelamento e morte de Jonhliane de Souza Paiva no último dia 6, na Avenida Antônio da Rocha Viana. Ele também aparece em um vídeo na festa que Ícaro Pinto participou antes do acidente segurando um revólver.

À Rede Amazônica Acre, Hosken alegou que foi preso porque teve medo de parar na barreira policial, já que, segundo ele, é perseguido depois acidente envolvendo Ícaro. Sobre a arma que aparece no vídeo, ele afirmou que é de brinquedo.

“Estão querendo me prejudicar por causa do acidente do Ícaro”, resumiu.

Johnliane foi atingida por uma BMW em alta velocidade, que era dirigida por Ícaro. A suspeita é que ele e Alan Lima estariam fazendo um racha no momento em que a mulher foi atingida.

Fuga para amigo

No dia do acidente, Hosken disse que recebeu uma ligação de Ícaro falando que tinha sofrido um acidente, mas que não sabia que tinha vítima fatal. “Estou triste com o que aconteceu com a moça”, afirmou.

Questionado sobre a festa que promoveu durante a pandemia, o empresário justificou que era para poucas pessoas e teve a infelicidade de o acidente ter acontecido logo após. Hosken também afirmou que está à disposição da Justiça para esclarecimentos.

Carro de luxo que bateu na vítima ficou parcialmente destruído — Foto: Rodilson Bradales/Arquivo pessoal

“Todo mundo tem algum tipo de problema. Eu fui infeliz em algumas atividades, mas estou à disposição da Justiça para esclarecer e se tiver que pagar por algum crime irei pagar. Todo mundo faz festa ainda mais na pandemia. Para minha infelicidade, o acontecido foi na minha festa que era para poucas pessoas”, justificou.

O delegado responsável pelas investigações, Alex Danny, disse que no momento a polícia trabalha apenas na conclusão do inquérito da morte de Jonhliane Paiva. As informações sobre a realização da festa em meio à pandemia fazem parte do inquérito, mas outros procedimentos devem ser instaurados apenas após a conclusão deste caso.

Fuga de abordagem

A PM-AC informou que Diego Hosken tentou fugir logo que viu a barreira policial. A equipe achava que o carro poderia ser roubado ou furtado e saiu em perseguição do veículo.

Ao perceber que era perseguido, Hosken saiu avançando os semáforos e dirigindo na contramão, colocando em risco a vida de pedestres. No bairro Placas, o condutor parou o veículo e esperou os policiais saírem da viatura para dar ré e tentar atingir a equipe.

Diante do perigo, a PM-AC afirmou que um policial deu um tiro de advertência no carro. Mesmo assim, o motorista acelerou e iniciou uma nova perseguição.

A ação só parou quando Hosken entrou em uma rua sem saída e foi abordado pelos policiais. Ele e um passageiro ainda tentaram resistir e foram imobilizados. A PM-AC afirmou que o empresário confessou que tinha ingerido bebida alcoólica, além de estar com um forte odor de bebida e, por isso, fugiu da polícia.

Ele foi levado para a Delegacia de Flagrantes (Defla). O empresário foi solto na audiência de custódia.

Dupla presa

Os motoristas envolvidos no suposto racha que terminou com a morte de Jonhliane continuam presos. Alan Araújo foi preso preventivamente no dia 14, na casa de um irmão. Já Ícaro Pinto foi preso no posto da Tucandeira, divisa do Acre com o estado de Rondônia. Ele voltava de Fortaleza, no Ceará, para onde tinha ido após sofrer ameaças, segundo informou a defesa dele.

A Polícia Civil já havia feito uma tentativa de prender Ícaro, no Aeroporto Internacional de Rio Branco, mas ele não desembarcou. A polícia, então, foi informada que ele desembarcaria no Aeroporto de Porto Velho (RO) e seguiria para o Acre de carro.

Jonhliane Souza foi atropela e morta quando seguia para o trabalho na manhã do dia 6 de agosto — Foto: Arquivo da família

Fonte: G1 Acre.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.