Rio Branco, Acre, 27 de setembro de 2020

Homem se recusa a usar máscara, ofende atendente e quebra objetos em sorveteria

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Um homem foi flagrado ameaçando a proprietária de uma sorveteria de Campinas após ela solicitar que ele utilizasse a máscara de proteção contra o coronavírus da forma correta,  sobre o nariz e a boca. Ofendido, ele, além de xingar a mulher com palavrões, chutou e quebrou equipamentos do estabelecimento. O caso aconteceu na tarde do último sábado (12) em uma sorveteria da Avenida José Bonifácio, no Jardim Flamboyant, e será encaminhado à Polícia Civil. 

Segundo Pollyanna Reis, proprietária do local, o cliente entrou no estabelecimento com a máscara no queixo, e após ela pedir para que ele colocasse a máscara sobre o rosto para atendimento no caixa, começaram as agressões e ofensas. Vale lembrar que em Campinas há um decreto que obriga o uso de máscaras em estabelecimentos comerciais, além de vias públicas. Caso clientes e funcionários não utilizem o equipamento de proteção o estabelecimento é multado e corre até o risco de ser fechado pela Prefeitura. 

Em vídeos gravados por outros clientes que estavam no local no momento do desentendimento, é possível ver o homem ameaçando de agressão e ofendendo a proprietária. Em seguida, o homem chuta e quebra uma cadeira. Na sequência, ele tira uma proteção de corrente que havia no local e pisa em um cone colocado para controlar o fluxo de clientes.

Em meio a ameaças, o homem aponta o dedo no rosto da mulher, e além de xingar, intimida a funcionária: “Faz alguma coisa para ver se eu não quebro a sua cara, fala um ‘A’ pra você ver o que eu não faço”, declara. Ele também a xinga com palavrões.   

De acordo com a dona da sorveteria, ela pediu educadamente para que o cliente colocasse a máscara, e após a negativa a se recusou a continuar com a venda. Com a recusa do atendimento, o homem começou a se exaltar, xingando a equipe e mostrando agressividade.  

“Eu nunca imaginei que isso aconteceria. Nós estamos com restrição de acesso. Atendendo uma família por vez, quando ele se aproximou para fazer o pagamento eu pedi educadamente para ele colocar a máscara corretamente. Ele se recusou, eu insisti, e depois eu me recusei a atender. Depois disso ele começou a se revoltar, pegou o telefone para ligar pra polícia, queria me gravar, começou a me ofender e a quebrar as coisas”, declarou Pollyanna, que afirmou ainda estar abalada com o caso. 

“Eu fiquei muito abalada, ainda fico nervosa falando nisso. Era só um pedido para colocar a máscara, que tem uso obrigatório, não pensei que chegaria nesse fim”, disse. 

Segundo a comerciante, todas as imagens gravadas por outros clientes foram reunidas e hoje serão levadas na delegacia para registro da ocorrência. 

OUTRO LADO

Após a reportagem, o cliente, Rodrigo Ferronato entrou em contato com a redação para dar sua versão. Ele alega que teria sido agredido primeiro com um empurrão, um soco na barriga e tapas. Ainda afirmou que já fez um boletim de ocorrência contra o estabelecimento, e acionou o Procon pela recusa do atendimento.

Sobre o desrespeito a máscara, Rodrigo ainda afirma que não havia distanciamento social no local, e que a máscara estava colocada, mas não estava sobre o nariz.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.