Rio Branco, Acre, 26 de outubro de 2020

Ex-diretores do Depasa no Acre são indiciados por associação criminosa e peculato

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações G1 Acre
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Polícia Civil concluiu o inquérito que investiga o desvio de verbas públicas na gestão anterior do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa). Três suspeitos foram indiciados pelos crimes de peculato, associação criminosa, falsidade ideológica e crimes contra licitação e contratos públicos.

Entre os suspeitos estão o ex-diretor presidente do Depasa, Sebastião Fonseca, o ex-diretor financeiro do órgão, Edson Siqueira e a empresária Delba Bucar, mulher de Fonseca.

Os três foram alvos da Operação Toque de Caixa, deflagrada no último dia 3 de agosto, após dois meses de investigação da Delegacia de Combate à Corrupção e aos Crimes contra a Ordem Tributária e Financeira (Decor). Fonseca e a mulher chegaram a ser presos na ação e foram soltos após quatro dias.

Ex-presidente do Depasa e a mulher estão entre os indiciados pela polícia  — Foto: Arquivo/Secom

Ex-presidente do Depasa e a mulher estão entre os indiciados pela polícia — Foto: Arquivo/Secom

As investigações apontam que Fonseca é suspeito de beneficiar a empresa de Delba, a Bucar Engenharia, com um contrato que desviou verba pública. De acordo com a polícia, o montante desviado seria de, pelo menos, meio milhão de reais.

“Três pessoas foram indiciadas, nós mandamos para o judiciário que agora, possivelmente, vai abrir vistas ao Ministério Público. Se achar pertinente, o MP vai denunciar, se achar que não, vai arquivar ou vai devolver para novas diligências”, informou o coordenador da Decor, delegado Pedro Henrique.

Além das prisões, na época da operação a polícia apreendeu materiais, mídia, documentos, tanto na casa dos alvos como também na sede do Depasa. Foi feito ainda o bloqueio de contas bancárias e indisponibilidade de bens dos investigados.

Após a deflagração da operação, o Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um inquérito civil para aprofundar as investigações sobre o desvio de recursos públicos no Depasa.

O MP informou que as investigações vão focar em um contrato feito entre o Depasa e a empresa Bucar Engenharia, que tem como sócia a mulher do ex-diretor da autarquia.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.