Rio Branco, Acre, 28 de novembro de 2020

Bolsonaro cita endividamento “monstruoso” e nega que auxílio emergencial será ampliado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por iG Último Segundo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

“Não dá para ficar muito tempo mais com esse auxílio”, disse o presidente, que defendeu que o país está saindo da crise

O presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar nesta segunda-feira (19) a impossibilidade de prolongar o auxílio emergencial , previsto para acabar no fim deste ano. A declaração foi dada a apoiadores no Palácio da Alvorada.

“Eu sei que os R$ 600 é pouco para quem recebe, mas é muito pro Brasil, são R$ 50 bilhões por mês, e tem que ter responsabilidade para usar a caneta Bic. Não dá para ficar muito tempo mais com esse auxílio porque realmente esse endividamento é monstruoso, mas o Brasil está saindo da crise, pelo que os números estão mostrando o Brasil está saindo da crise”, disse Bolsonaro .

A declaração ocorre em um momento que o governo tenta encontrar forma de financiar o Renda Cidadã , programa assistencial pensado para substituir o Bolsa Família. Na sexta, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que se não encontrar espaço fiscal para fazer o novo programa social denominado Renda Cidadã, o governo vai continuar com o Bolsa Família .

“Se não encontrarmos espaço fiscal para fazer um programa melhor, vamos voltar para o Bolsa Família. É melhor voltar para o Bolsa Família que promover um programa irresponsável”, afirmou durante evento virtual da XP Investimentos.

A ideia inicial de extinguir programas sociais já existentes, como o seguro defeso e o abono salarial, para financiar o Renda Brasil, foi abandonada após o presidente dizer que não iria “tirar dos pobres para dar aos paupérrimos”.

Em seguida, o governo anunciou que usaria parte da verba destinada ao pagamento de precatórios e recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para financiar o programa , já com o nome Renda Cidadã. Essas fontes de financiamento, no entanto, foram mal recebidas pelo mercado e o governo desistiu de usá-las.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.