Rio Branco, Acre, 25 de novembro de 2020

Ícaro e Alan viram réus por homicídio, racha, fuga e omissão de socorro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Justiça acreana acatou o pedido do Ministério Público do Acre (MPAC) e agora os motoristas Ícaro José da Silva Pinto e Alan Araújo de Lima viram réus por homicídio, racha e crimes acessórios, como fuga e omissão de socorro.

Os dois são acusados de praticarem um racha causou no atropelamento e morte da jovem Jonhliane de Souza, de 30 anos, no dia 6 agosto. O acidente ocorreu na Avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco.

Mesmo a defesa alegando o contrário, o promotor que acompanha o caso, Efrain Medonza, afirmou que o racha foi uma das principais causas da morte de Jonhliane.

A jovem morreu ao ser atingida por uma BMW que era dirigida por Ícaro Pinto em alta velocidade, segundo a perícia. A polícia chegou à conclusão de que Alan também participava do racha.

Ainda segundo perícia, a BMW estava a 151 km/h na hora e a motocicleta em que a jovem estava a 46km/h.

Alan foi preso na casa de um irmão no dia 14 de agosto e Ícaro no dia 15, no posto da Tucandeira, divisa do Acre com Rondônia, quando retornava de Fortaleza.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.