Rio Branco, Acre, 24 de novembro de 2020

Liga dos Campeões retorna com público e calendário intenso

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
WEB.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

AFP – Dois meses após o encerramento da última edição em Lisboa, a nova Liga dos Campeões começa nesta terça-feira com um calendário intenso para a fase de grupos, comprimida entre outubro e dezembro, e o retorno de espectadores aos estádios, com capacidade limitada devido à pandemia de covid-19.

Será em Istambul, cidade turca que deveria ter sediado na temporada passada o encerramento do torneio continental, a disputa da final em 29 de maio de 2021, exceto por novas alterações.

Os candidatos são, como sempre, numerosos entre os 32 times participantes: o atual campeão Bayern de Munique, Liverpool e Real Madrid, o vice-campeão PSG ou também os pesos pesados espanhóis, Barcelona e Atlético de Madrid, ingleses, Manchester City, Manchester United e Chelsea, e italianos, Juventus e Inter.

Mas desta vez o caminho deverá ser ainda mais difícil: a jornada para a final começa na terça e quarta-feira com grandes jogos de abertura (PSG-United e Bayern-Atlético, principalmente), uma primeira rodada atrasada mais de um mês em relação ao calendário normal devido à pandemia do coronavírus.

É o resultado de uma edição 2019-2020 virada de pernas para o ar pela doença e que terminou no final de agosto passado, numa decisão de torneio a portas fechadas em Lisboa.

Apesar de normalmente ser disputada entre setembro e dezembro, a fase de grupos 2020-2021 está condensada em apenas 50 dias, com seis rodadas que serão realizadas até 9 de dezembro, ou seja, partidas todas as semanas com exceção do intervalo para os jogos das seleções nacionais, em novembro.

CIDADE-SEDE

Embora o coronavírus tenha atingido os jogadores (como no caso do atacante português Cristiano Ronaldo) e ameace a realização dos duelos, a Uefa afirma estar convencida de que “a temporada pode ser jogada na íntegra, com o formato atual e com a final em Istambul”.

A entidade que comanda o futebol europeu não prevê, até o momento, uma fase final (‘Final 8’) como a improvisada em agosto em Lisboa (Portugal) reunindo os times que passaram às quartas de final.

No entanto, cabe à Uefa decidir mais tarde “os princípios que regem a classificação dos clubes para os oitavas”, caso a fase de grupos não possa ser concluída antes de 28 de Janeiro de 2021.

Depois de ter estabelecido no meio deste ano um protocolo sanitário e médico preciso para determinar o ritmo dos testes de PCR que devem ser realizados pelas delegações de cada clube, a organização europeia de futebol teve de acrescentar ao seu regulamento um leque de hipóteses ligadas à pandemia .

Desta forma, se um time não conseguir relacionar “no mínimo 13 jogadores”, incluindo um goleiro, devido à contaminação por coronavírus ou quarentena, o confronto deverá ser remarcado.

Mas se não houver uma data possível para a realização desse embate antes do final da fase de grupos, o clube em dificuldades será penalizado com uma derrota por 3-0.

PÚBLICO

Outro cenário: em caso de restrições por parte das autoridades nacionais, sejam elas fechamento de fronteiras ou medidas de quarentena, o clube local terá de oferecer “um estádio de substituição adequado”.

A nova arena deverá ser em país neutro, “dando a maior prioridade possível aos países que possuem equipes na Liga dos Campeões e cujos estádios já estão preparados”, afirmou a Uefa.

Polônia, Hungria, Grécia e Chipre ofereceram em agosto seus estádios, bem como a criação de “corredores de deslocamento” para a realização destes confrontos sem restrições, tanto para a Liga dos Campeões como para a Liga Europa, que começa na quinta-feira.

No momento, todas as partidas estão agendadas em seus respectivos estádios, o que deve permitir o retorno do público em algumas arenas.

A Uefa anunciou um regresso progressivo de espectadores em todas as suas competições. Até 30% da capacidade de cada estádio pode ser ocupada, embora o limite máximo efetivo normalmente seja menor, dependendo das restrições locais.

Assim, a partida entre PSG e Manchester United será disputado sem público devido às medidas impostas pelas autoridades francesas, mas haverá, por exemplo, 5.000 torcedores no estádio do Rennes para a grande estreia da equipe no torneio europeu, enfrentando o Krasnodar. O início de uma longa viagem até Istambul.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.