Rio Branco, Acre, 18 de janeiro de 2021

Epitaciolândia proíbe atividades turísticas e visitação em aldeias durante pandemia no Acre

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Para tentar frear o avanço dos casos de Covid-19, o município de fronteira, Epitaciolândia, no interior do Acre, proibiu as atividades turísticas na região e a visitação em aldeias indígenas durante a pandemia do novo coronavírus. O novo decreto foi publicado na edição desta segunda-feira (23) do Diário Oficial do Estado (DOE).

O documento destaca que as Unidades Básicas de Saúde (USBs) do município não têm estrutura para prestar os atendimentos complexos do tratamento de pacientes com a doença.

Além disso, a prefeitura informou que os casos de saúde mais graves são levados para o hospital regional do Alto Acre, em Brasiléia, ou para a capital Rio Branco.

Portanto, como uma forma de intensificar as medidas de prevenção, controle e contenção de riscos à saúde pública, a prefeitura decidiu proibir qualquer atividade que envolva o turismo na região, como visitação em comunidades indígenas e não indígenas, cruzamento da linha de fronteira entre o Brasil e outros países vizinhos.

Ainda segundo o decreto, todos os órgãos de incentivo ao turismo e o recebimento de pessoas nos municípios com esse objetivo permanecem fechados.

Após quase seis meses fechada devido à pandemia, as duas pontes que ligam Brasileia e Epitaciolândia à cidade de Cobija, na Bolívia, foram reabertas, de forma gradual, em setembro.

O tráfego foi liberado apenas para moradores das cidades de Brasileia, Epitaciolândia e Cobija. Pessoas de outras cidades acreanas e da Bolívia continuam com o tráfego restrito entre os países.

Fonte: G1 Acre.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.