Rio Branco, Acre, 18 de janeiro de 2021

Acre tem décima maior taxa de mortalidade infantil do país, aponta IBGE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações G1 Acre
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Acre tem um dos dez maiores índices de mortalidade infantil do país, segundo a Tábua de Mortalidade, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quinta-feira (26) com dados de 2019.

O estado apresentou taxa de 15,3 mortes para cada mil nascidos vivos, superior à média do Brasil de 11,9.

Conforme o IBGE, a tábua de mortalidade tem sido utilizada como um dos parâmetros necessários à determinação do chamado fator previdenciário para cálculo dos valores relativos às aposentadorias dos trabalhadores que estão sob o Regime Geral de Previdência Social.

O Acre aparece na 10ª posição no ranking das maiores taxas. Com índice de 22,6 óbitos a cada 1 mil nascidos vivos, o Amapá lidera o ranking, seguido de Rondônia, com 18,8.

Em 2018, o estado acreano também ocupava a décima posição no ranking, com taxa de 15,8, um pouco inferior ao índice de 2017, que naquele ano ficou em 16,3.

Dados nacionais

No país, a probabilidade de um recém-nascido não completar o primeiro ano de vida era de 11,9 para cada mil nascimentos no ano passado, ficando abaixo da taxa de 2018 quando a taxa era de 12,4. Esse índice caiu 91,9% desde 1940, quando chegava a 146,6 óbitos por mil nascimentos.

A mortalidade na infância – crianças menores de 5 anos – também declinou no país. Saindo de 14,4 por mil em 2018 para 14,0 por mil em 2019.

Das crianças que vieram a morrer antes de completar os 5 anos de idade, 85,6% teriam a chance de morrer no primeiro ano de vida e 14,4% de vir a falecer entre 1 e 4 anos de idade.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.