Rio Branco, Acre, 19 de janeiro de 2021

Grupo de Pesquisa da Ufac, Câmpus de Cruzeiro do Sul, promove Seminário Acadêmico on-line

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Grupo Acreano de Estudos Linguísticos e Literários promoveu, nos dias 25, 26 e 27 de novembro, o II Seminário GrAELL: língua(gens), embates e resistências na contemporaneidade. O evento é uma ação on-line do Grupo Acreano de Estudos Linguísticos e Literários com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Acre, por meio do Edital PROEX/PROAES 11/2020; ações on-line de extensão universitária: Ufac/comunidade. 

Mais de 600 participantes de diferentes estados brasileiros e de outros países como Colômbia, Argentina, Uruguai e Canadá participaram do evento. Durante os três dias, o II Seminário GrAELL promoveu espaços para a ampla discussão sobre as língua(gens) e dos discursos, enquanto práticas que determinam as relações de poder social. Assim, foi oferecido 11 minicursos; 6 grupos de trabalho; 5 mesas temáticas, além das conferências de abertura e encerramento.

A cerimônia de abertura foi transmitida pelo canal do grupo de pesquisa, via YouTube, em <graell.ufac>, e contou com a presença da Magnífica Reitora, Prof.ª Dr.ª Guida Aquino; a Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Prof.ª Dr.ª Margarida Carvalho; o Pró-Reitor de Extensão e Cultura, Isaac da Silva; o Diretor do Centro de Educação e Letras, Prof. Dr. Mauro Uchôa; a coordenadora do evento e líder do GrAELL, Prof.ª Dr.ª Simone Cordeiro; a vice-líder do GrAELL, Prof.ª Dr.ª Vera Bambirra.

“Estamos vivenciando um espaço de reflexão sobre o ‘fazer ciência’ na área das Ciências Humanas. O evento permite tanto a discussão com pesquisadores de outras instituições de ensino superior, quanto a apresentação do que produzimos na academia para o público externo. É preciso promover esses espaços para combatermos os discursos que reduzem a importância das universidades, das instituições públicas e da ciência”, afirmou a coordenadora do evento, Prof.ª Dr.ª Simone Cordeiro.

Prof.ª Dr.ª Simone Cordeiro (UFAC – CEL)

Um dos momentos especiais da cerimônia de abertura foi o discurso de boas-vindas realizado pelos discentes do Curso de Licenciatura Indígenas, Hulício Kaxinawa e Isabel Kaxinawa, na língua hatxa kuin. O discurso foi gravado, e apresenta, além do áudio na língua hatxa kuin – do povo indígena hunikuin, legenda em língua portuguesa e intérprete de libras; com imagens dos campi de Cruzeiro do Sul e Rio Branco da Ufac; bem como da cidade de Cruzeiro do Sul. As imagens fazem parte do acervo da Ufac e do acervo pessoal do fotógrafo Ismael Medeiros, que autorizou o uso.

As atividades de minicursos e grupos de trabalho ocorreram via Google Meet; por sua vez, as mesas temáticas e conferências foram transmitidas pelo YouTube. Apesar de ser a primeira experiência da coordenadora do Seminário em coordenação de evento on-line, os resultados foram muito positivos, conforme os relatos dos participantes.

 “Participar do II Seminário Graell: língua(gens), embates e resistências na contemporaneidade foi um momento ímpar de troca de experiências e, sobretudo, mais uma oportunidade para conhecer e refletir sobre o que nossos colegas estão desenvolvendo no âmbito acadêmico e, consequentemente, interagir frente à relação entre a universidade e a comunidade local/regional/nacional. Sinto-me honrado em poder ter tido a oportunidade de participar e dialogar com importantes pesquisadores da região Norte e de outros locais do Brasil. Com o tema: “Língua(gens), embates e resistências”, o Seminário mostrou a importância de se debater os diversos desenrolares sociais permeados pelas língua(gens) e as possibilidades de se refletir sobre as formas de resistência que podemos desenvolver diante de ações fascistas e autoritárias. Viva o II Seminário Graell e que venha a III edição!”, afirmou Prof. Dr. Shelton Souza, professor da Ufac – Câmpus de Rio Branco.

 “O II Seminário GrAELL incentiva a troca de experiências e a inovação em termos da pesquisa, ensino e extensão. Tanto em termos regionais amazônicos, como nacional e internacionalmente. Vida longa ao Seminário e às iniciativas similares”, destacou a Prof.ª Dr.ª Andréa Martini, Cruzeiro do Sul, Acre, Brasil.

 “O II Seminário GrAELL: língua(gens), embates e resistências na contemporaneidade, foi uma experiência incrível, muito bem organizado, e ao meu ver muito humanizado também, fiquei muito feliz de poder participar do Seminário de forma on-line, pois sei que se fosse de forma presencial não teria condições de estar participando. Pois através do Seminário pude conhecer um pouco mais sobre o Acre, em principal a cultura, os trabalhos também ministrados foram todos excepcionais. Por mais seminários assim…”, destacou Raissa P. Pimenta, Marília-SP.

Durante todo o evento, os participantes interagiram com perguntas e colaborações sobre as discussões que estavam sendo apresentadas, tornando produtiva a proposta do Seminário.

“O II Seminário GrAELL: língua(gens), embates e resistências na contemporaneidade”, que congrega cientistas e educadores de várias partes do país, representa um fórum especialmente significativo para as discussões no campo dos estudos da linguagem. Além disso, configura-se um espaço privilegiado para reflexões e debates envolvendo o papel da universidade pública, gratuita e de qualidade na e para a sociedade, abrangendo as esferas do ensino, da pesquisa e da extensão. Por conta disso, ficamos muito honrados de participar da Mesa temática em que foram apresentados os objetivos e a metodologia de nosso projeto de extensão ‘Ações de combate ao preconceito linguístico’, assim como os desafios que enfrentamos para dar prosseguimento a essa iniciativa na atual realidade, que permite somente a realização de atividades remotas. A interação e a troca de experiências com o público atento que acompanhou nossa mesa foi extremamente gratificante”, destacou Beatriz Protti Christino, professora da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, moradora da cidade do Rio de Janeiro.

Além dos espaços para discussões, o Seminário promoveu momentos de reconhecimento; com tributos as professoras Célia Pires e Alexandrina Félix pelas contribuições para o desenvolvimento do ensino superior no Vale do Juruá. Familiares, amigos e demais participantes ficaram emocionados ao ouvirem os relatos dos convidados das mesas temáticas que permitiram a recordação dessas duas profissionais de excelência.

Simone Cordeiro destacou a importância dos alunos extensionistas bolsistas que atuaram diretamente no evento, seja nas etapas de planejamento, organização, execução e pós-evento. “Além de todos os colaboradores, professores pesquisadores, que ministraram minicursos, mediaram grupos de trabalho, mesas temáticas e as conferências; eu faço questão de mencionar a importância do trabalho desenvolvido pelos alunos extensionistas para o sucesso do evento. Durante todas as etapas pude contar com seis extensionistas bolsistas e uma extensionista voluntária, são eles: Giullian Monteiro, Jaelisson Nascimento, Ulissys Bandeira, Marie Gomes, Maria Raniele de Souza, Thalia Marques e Raissa Barbosa”. Segundo a professora, a experiência dos discentes possibilita o despertar para as questões acadêmicas; em especial, no que tange às pesquisas científicas e o reconhecimento do papel social das universidades.

“Como aluna do primeiro período, recém chegada na Ufac, considero esse evento de grande valia para o meu crescimento educacional e pessoal. Educacional, porque os conteúdos foram enriquecedores, aprendi muito. Tanto na área do meu curso, de Letras Espanhol, quanto em outras área da linguagem. Pessoal, porque os temas que foram tratados não foram só sobre formação acadêmica, mas também formação pessoal, como a conferência de encerramento ‘Quem somos nós? Alguém saber?’ (sic), apresentada pelo Prof. Dr. Gerson Albuquerque. Essa monitoria serviu para me aproximar mais dos professores, alunos tanto da Ufac, quanto de outras universidades. Só tenho sentimento de gratidão por tudo que vivencie desde a preparação até a conclusão”, destacou Marie Gomes.    

O Seminário encerrará as ações com apresentações artístico-culturais, momento em que vários artistas locais, reconhecidos e anônimos, apresentarão por meio da arte diferentes formas de expressão; contribuindo, assim, com os debates propostos no evento. Devido problemas de conectividade, a ação foi transferida para este sábado (28), às 16h, horário do Acre; 18h, horário de Brasília.

Para assistir e acompanhar as atividades do Seminário, acesse o canal do grupo de pesquisa no YouTube, <GrAELL Ufac>, em: https://www.youtube.com/channel/UCUSUg7vloEFqWj-wgrBRKvA.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.