Rio Branco, Acre, 16 de janeiro de 2021

Com 32%, Rio Branco registra maior abstenção da história e supera total do país

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações do ContilNet
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Mesmo que 174.249 pessoas tenham ido às urnas neste domingo (29) para escolher o novo gestor que comandará a Prefeitura de Rio Branco pelos próximos 4 anos, o número de abstenções foi considerável, chegando a 82.424 (32,11%). O número é maior que São Paulo, o maior colégio eleitoral do país que teve 30,81%. O número de riobranquenses que deixaram de ir às urnas também supera, proporcionalmente, o número total em todo o país, onde o Tribunal Superior Eleitoral registrou 29,5% de abstenções, o maior índice desde 1996.

Na Capital acreana, o total é 53.56% a mais do que o registrado na última eleição para o cargo, em 2016, quando 38.275 pessoas não compareceram às seções. No primeiro turno, 27,23% dos eleitores aptos a votarem não compareceram às urnas. É a maior abstenção da história do município.

Foram 3.328 (1,91%) votos brancos e 4.473 (2,57%) nulos, de acordo com Tribunal Superior Eleitoral.

Ao todo, 707 urnas eletrônicas estavam disponíveis em diferentes locais da cidade de Rio Branco.

Veja o histórico da taxa de abstenção na capital:

2004: 16%

2008: 16%

2012: 17%

2016: 16%

2020 (primeiro turno) 27%

Tião Bocalom (Progressista) venceu o segundo turno com 104.746 votos (62,93%), contra 61.702 votos (37,07%) da atual prefeita Socorro Neri (PSB).

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.