Rio Branco, Acre, 7 de março de 2021

Bahia nega injúria racial e reincorpora Indio Ramirez ao elenco regular do time

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Esporte Clube Bahia divulgou, nesta quinta-feira (24), uma carta em que afirma não ter comprovação de injúria racial por parte do seu atleta Indio Ramirez com o meia do Flamengo, Gerson, no jogo entre os dois times no domingo (20). E por esse motivo reincorporará Ramirez ao elenco regular do time.

“Os laudos das perícias em língua estrangeira contratadas pelo Bahia não comprovam a injúria racial e o clube entende que, mesmo dando relevância à narrativa da vítima, não deve manter o afastamento do atleta Indio Ramírez ante a inexistência de provas e possíveis diferenças de comunicação entre interlocutores de idiomas diferentes”, diz a carta.

O clube também anunciou uma série de medidas para combater o racismo e a homofobia internamente e entre os seus torcedores. Dentre elas estão: cotas racias para as disputas em eleições realizadas no clube, criação de espaço no museu do clube para debater o racismo, xenofobia, sexismo e LGBTfobia, proposta de criação de protocolo antidiscriminatório para jogos de futebol no Brasil entre outros.

Sobre o caso

Após vitória do Flamengo por 4 a 3 contra o Bahia neste domingo (20), o meia Gerson, do Flamengo, acusou Ramírez de ter cometido injúria racial contra ele. Em entrevista concedida após o jogo, o flamenguista afirmou que, durante uma discussão, Ramírez disse a ele: “cala a boca, negro”.

O Bahia frisou que Ramírez nega veementemente a acusação, mas afirmou que “o clube entende, porém, que é indispensável, imprescindível e fundamental que a voz da vítima seja preponderante em casos desta natureza”.

Ainda depois o jogo, Gerson ainda criticou a postura do treinador Mano Menezes, demitido do Bahia durante a noite – sem que o clube detalhasse se o desligamento teve ligação com o episódio.

“O Mano falou: ‘ah, agora você é vítima, né? O Daniel Alves te atropelou e você não falou nada’. Claro, porque teve respeito entre eu e ele. Eu nunca falei de treinador, mas o Mano tem que saber respeitar”, disse Gerson.

(Com informações de Diego Freire)

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.