Rio Branco, Acre, 4 de março de 2021

No Acre, grávida morre de Covid-19 após parto e faz último pedido: ‘falou para cuidar dos nossos filhos’, diz marido

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações do G1 Acre.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A agente comunitária de saúde Simonete Ribeiro de Paiva, de 40 anos, morreu com Covid-19 após um parto de emergência na noite de quarta-feira (20) no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into-AC), em Rio Branco. Simonete estava no sexto mês de gestação do terceiro filho, teve complicações devido à doença e a precisou ser submetida a uma cirurgia para a retirada da criança.

O menino está internado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Maternidade Bárbara Heliodora. Segundo o pai, o agricultor Roberto dos Santos Silva, de 40 anos, a criança está bem. Porém, ele não soube informar se o bebê nasceu com Covid-19. O último pedido da mulher ao marido foi para que ele cuidasse dos filhos.

“Me falaram que ele está bem, não disseram que está com Covid-19. Fizeram o exame, mas não me falaram se está. Ela piorou e tiraram o bebê lá mesmo [Into-AC]. A ambulância da maternidade veio e levou ele. Entubaram ela ainda, passou dez minutos viva ainda e morreu”, contou, abalado.

Simonete era servidora da saúde da cidade de Plácido de Castro. Ela trabalhava como agente comunitária há mais de dez anos. Após a morte da servidora, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac), a Prefeitura e a Secretaria de Saúde de Plácido de Castro emitiram notas lamentando a morte da mulher. (Veja mais abaixo).

A coordenadora da Atenção Primária de Plácido de Castro e colega de trabalho, Elenira Costa da Silva, explicou que Simonete estava afastada há dois meses, quando foi diagnosticada com pneumonia. Além disso, a servidora tinha doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e asma.

“Ela era uma excelente profissional, era dedicada, trabalhava na zona rural, visitava diariamente com uma moto os pacientes. Ela se doava mesmo, quando o paciente não tinha medicamento ela tirava do bolso, quando estava acamado ela colocava na garupa da moto e trazia para atendimento. Era crítica e buscava melhorias. Não tinha problemas com ninguém, lamentamos muito a morte dela”, lamentou.

Infecção na gravidez

O marido de Simonete contou que a mulher tinha medo de pegar a coronavírus na gravidez. Há dez dias a servidora pública começou a apresentar os sintomas da doença, mas não tinha feito exames ainda. No sábado (16), Simonete, que morava na zona rural de Plácido de Castro, começou a passar mal e veio para a maternidade de Rio Branco.

Uma médica fez um raio-X e mandou internar a mulher. Ao trocar de plantão, o outro médico medicou Simonete e deu alta para ela, que voltou para casa novamente.

“No domingo [17], passou mal de novo. Na segunda, levei ela para o hospital de Plácido de Castro, levaram ela para a maternidade de novo e de lá foi para o Into na terça [19]. Ela chegou no Into, ficou no leito, não foi entubada e ficou muito apreensiva, ficou desesperada e me falaram que tirou a máscara de oxigênio e a saturação dela caiu e não conseguiram mais reverter o quadro”, relembrou.

Último pedido

Na quarta (20), o quadro de saúde Simonete continuou ruim e, no início da noite, a equipe fez a cirurgia de emergência para a retirada do bebê. Roberto Silva falou que a mulher tinha medo de se contaminar com a doença durante a gravidez. Ele disse que não sabe como a agente se infectou, mas que outros parentes dela, como o irmão, também pegaram a doença e estão internados.

“Por causa do histórico dela de DPCO, ela tinha medo, não queria ir para o Into de jeito nenhum. Na última vez que me ligou pediu para eu cuidar dos meninos e aí pegaram o telefone dela. No outro dia já morreu, não tinha contato mais com ela. Estávamos nos preparando para comprar o enxoval mês que vem, temos só algumas coisas que as pessoas deram”, lamentou.

Nota da Prefeitura de Plácido de Castro:

O prefeito Camilo da Silva, venho registra o mais sincero condolências a família e ao Esposo Roberto, por essa inestimável perda da senhora Simonete de Paiva, 40 anos, funcionária pública da Prefeitura de Plácido de Castro há mais de 12 anos como Agente Comunitária de Saúde, Lotada na Unidade de Saúde Mario Gomes, no Km 58. Moradora no Ramal Cazuza.

Que Deus em sua infinita misericórdia conforte e console os coração dos familiares dando força para suporta este momento de profunda dor. A mesma estava grávida. Faleceu devido às complicações da Covid-19.

Simonete se mostrou uma mulher guerreira, e sempre foi muito querida por colegas de trabalho e amigos.

Nota da Secretaria de Saúde:

É com extremo pesar que a Secretaria de Saúde do município de Plácido de Castro comunica o falecimento da agente de saúde Simonete Ribeiro de Paiva.

Simonete se mostrou uma guerraira, e sempre foi muito querida por colegas de trabalho e amigos.

Toda secretaria registra as mais sincera condolências à família e amigos por essa inestimável perda.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.