Rio Branco, Acre, 21 de janeiro de 2021

Palmeiras sofre do início ao fim mas vai mesmo à final da Libertadores

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Palmeiras de Abel Ferreira qualificou-se para a final da Taça dos Libertadores da América, apesar da derrota de hoje em São Paulo com o River Plate por 2-0. Valeu o triunfo por 3-0 em Avellaneda, na Argentina, no primeiro embate. É o regresso a uma final da principal competição continental, a quinta da sua história, 21 anos depois. Abel Ferreira tentará levar o Verdão a uma segunda conquista, depois do distante triunfo de 1999.

O River Plate veio a São Paulo provar que uma diferença de três golos não era impossível de anular. Depois de algum equilíbrio, os argentinos chegaram ao primeiro golo de bola parada aos 29 minutos, com um grande cabeceamento de Rojas, após cruzamento de De la Cruz, sem hipóteses para Weverton.

Abel Ferreira perdeu aos 42 minutos, devido a lesão, a sua principal referência defensiva, o paraguaio Gustavo Gómez, o que se tornou mais um fator de instabilidade de uma equipa bem menos experiente do que o rival.

Os Millonarios continuaram muito pressionantes e marcaram mais um a um minuto do intervalo. Novamente, o médio internacional uruguaio De la Cruz na jogada, desta vez com desvio de Matías Suárez e finalização de Santos Borré.

O VAR salvou o Palmeiras uma primeira vez aos 52 minutos, quando descobriu um fora de jogo de Borré no início da jogada que empataria a eliminatória, finalizada por Montiel.

Depois da expulsão de Jorge Carrascal na primeira mão, o River Plate ficou mais uma vez reduzido a dez aos 73 minutos, com Rojas a ver o segundo amarelo por falta sobre Rony. No entanto, a inferioridade numérica não abateu os homens de Marcelo Gallardo, que continuaram a pressionar e, aos 78 minutos, o árbitro assinalou penálti contra o Palmeiras, por falta sobre Montiel. No entanto, novamente o VAR chamou Estebán Ostojich, que percebeu então que não tinha existido falta por parte do defesa palmeirense e anulou a primeira decisão.

O guarda-redes Weverton continuou em grande destaque até final da partida, negando várias vezes um terceiro golo que empataria a eliminatória. O Palmeiras praticamente não existiu no ataque e sujeitou-se a uma recuperação épica dos comandados por Muñeco Gallardo, que dominaram por completo este segundo encontro.

O VAR ainda entraria em ação uma terceira vez, novamente por uma jogada na área dos brasileiros e já nos últimos minutos de descontos, mas desta vez o juiz manteve a decisão inicial de nada assinalar.

Gallardo, que perdeu a última final com o Flamengo de Jorge Jesus, vê-se agora afastado do jogo decisivo por outro português.

A outra meia-final joga-se amanhã, ao fim da noite, entre Santos e Boca Juniors, depois de um 0-0 na Bombonera.

A final está marcada para o Maracanã, a 30 de janeiro. Abel Ferreira vai poder estar presente, uma vez que, apesar de estar em risco, evitou qualquer admoestação por parte da equipa de arbitragem.

A BOLA

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.