Rio Branco, Acre, 21 de abril de 2021

Maior valor destinado às enchentes é de Cruzeiro do Sul

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Cruzeiro do Sul irá receber 4,7 milhões de reais para lidar com as enchentes e a reconstrução pós-enchente. O surpreendente é que o valor destinado à Cruzeiro do Sul foi o maior de todos, maior até que a capital Rio Branco eu irá receber 3,2 milhões.

O valor corresponde em parte, ao maior número de famílias atingidas pelas cheias, estimadas em 30 mil pessoas, sendo que destas 1,2 mil tiveram de deixar suas casas.
Mas também é resultado de um plano de contingência consistente e detalhado apresentado pela prefeitura e Defesa Civil, onde os dados e planos dão margem de segurança de que o valor será bem empregado.

Os municípios vizinhos de Rodrigues Alves e Mâncio Lima irão receber respectivamente 550 mil e 965 mil. Tarauacá irá receber 2,1 milhões de reais, e Feijó, 793 mil. Sena Madureira receberá 2,9 milhões, Santa Rosa do Purus, 590 mil e o Estado do Acre 1 milhão e 400 mil reais.

“É resultado de um bom trabalho”, disse o chefe da Defesa Civil de Cruzeiro do Sul Francisco Lima na sala de situação desta quarta, 24.

O sinal de que não se trata ‘apenas de política’ é que os elogios à atuação da administração de Zequinha nesses tempos de crise partem de campos políticos diferentes, de quem tem observado de perto a organização da prefeitura para lidar com as contingências.

“Às vezes, uma administração é sensível às pessoas, mas por falta de um aparato técnico, não é capaz de ajudá-las. Às vezes, acontece o contrário, e uma administração tem boa qualificação técnica, mas falta sensibilidade para lidar com as pessoas. Aqui eu vejo uma combinação ótima desses dois fatores: boa qualificação técnica nas ações e uma administração sensibilizada com o drama das pessoas”, elogiou o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB).

Na fala do ministro Rogério Marinho, do desenvolvimento regional, ele deixa escapar que o plano de contingência de Rio Branco foi apenas naquele mesmo dia, o que demonstra que a administração da capital pode estar tendo dificuldade em realizar planejamento.

O planejamento das ações tem sido a tecla mais batida pelo prefeito Zequinha Lima, pelo prefeito em exercício, Henrique Afonso e pelos secretários. Que as enchentes são um fenômeno da natureza, todos sabem, mas cabe à ação humana organizar as mobilizações de forma que não se instaure o caos em situações de crise.

De Brasília, o prefeito Zequinha, agradeceu o apoio do governo federal e também atribuiu o montante à organização das ações. “Esse recurso é muito importante, principalmente no período pós-alagação, e já era esperado pelo município de Cruzeiro do Sul, como nos foi garantido pelo secretário nacional da Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas . O secretário esteve na nossa cidade e verificou de perto a situação, onde vivemos a maior enchente da história, ele ficou surpreso com toda organização e execução do plano de contingência e com o apoio às famílias atingidas, parabenizou as ações do nosso município e destacou como um exemplo para o país”, disse o prefeito Zequinha Lima.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.