Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

A perda de entes queridos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Coluna "Mente Aberta". com IB.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

É perfeitamente comum haver fatalidades ao redor do mundo, pessoas perdendo familiares ou pessoas com quem convive. Isso é algo que acontece diariamente. Mesmo assim, ver alguém perdendo um familiar é diferente quando você mesmo perde alguém. Eu acredito que não seria ruim trazer um texto a respeito disso.

Esse é um tema um pouco mais sério do que os que costumo trazer; mesmo assim, considero que esse tema se encaixa bastante com a nossa situação atual. Tendo isso em mente, fazer um texto desse tema seria mesmo inevitável; simplesmente a ideia viria em algum momento. De qualquer forma, eu não pretendo tomar muitas linhas com essas explicações.

Quando se trata de perdas o que mais precisamos falar a respeito é sobre como, geralmente, lidamos com isso. Alguns choram, outros entram em melancolia; mas, independentemente de cada um, o sentimento de tristeza pesa sobre todos.

Tenha em mente que as pessoas pensam de maneiras diferentes. Não importa o quão parecido alguém seja com outra pessoa; no final, cada um pensa de maneira única. Sendo assim, as pessoas também sofrem de maneiras diferentes. Não é porque alguém não chore ou chore menos, quando comparado a outra pessoa, que signifique que não se importe, que não ame, que não esteja sentido a perda, que não esteja sofrendo.

Se me perguntassem se há uma forma de controlar essas emoções eu diria que é impossível; pelo menos, para a maioria das pessoas. O máximo que pessoas nessas condições poderão fazer é cuidar para não deixar esse sentimento prejudicar severamente sua saúde.

Não sei o que cada um acredita; se acreditam no pós-morte ou em qualquer outra coisa. De qualquer forma, devemos sempre ter em mente a necessidade de não se deixar levar pela tristeza ao perder um ente amado. Coloque-se na situação da pessoa falecida, caso soubesse que a sua morte é a causa da melancolia, da tristeza de seus familiares. Claro que eu não espero que todos sejam frios e que não liguem para isso. Chorar é perfeitamente comum nessas horas; mas, após o choro, é preciso estar pronto para seguir a própria vida.

Espero que esse texto possa ter ajudado de alguma forma. Duvido que alguém consiga melhorar automaticamente depois de ter lido algo; mas, se pelo menos, tiver servido como distração, acho que já estará bom o bastante. Foi um texto bem fácil de fazer, ele me deixa com um sentimento meio neutro agora que o estou finalizando, coisa que não é tão comum. Independentemente de qualquer coisa, eu espero que tenham tido uma boa leitura.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.