Rio Branco, Acre, 14 de maio de 2021

Artigo: Gestão e Negócios

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
César Gomes de Freitas
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Segundo pesquisa do SEBRAE a taxa de fechamento de empresas no Brasil, após dois anos de funcionamento, é de 23,14%. Ou seja, quase um quarto das empresas fecha as portas após dois anos de funcionamento.

O empreendedorismo sempre foi e, agora em tempos de pandemia, continua sendo extremamente importante para a economia do país. Novos negócios geram empregos, aumenta a arrecadação de impostos, proporcionam distribuição de renda. Porém, é importante distinguir empreendedorismo de gestão.

Existem diversos fatores que influenciam no alto percentual de empresas que não conseguem sobreviver. Uma destas razões é a falta de conhecimento ou habilidade para o cotidiano da gestão de negócios.

E aqui é importante lembrar que nem todo empreendedor é um bom gestor, assim como nem todo gestor é um bom empreendedor. Claro que existem exceções, mas, via de regra, as habilidades, talentos e vocação necessários para descobrir oportunidades, conceber uma ideia de negócio não são os mesmos necessários para realizar uma correta e adequada gestão deste mesmo negócio.

Uma gestão de negócios eficiente requer conhecimentos específicos relacionados a ações de planejamento, organização, execução e controles, conforme nos ensina Henry Fayol desde o início do século passado. E, não podemos esquecer dos importantes conhecimentos das diversas áreas da gestão: marketing, produção, gestão de pessoas, logística, finanças…

Quando tais conhecimentos não são aplicados no dia a dia das empresas, temos gestões amadoras. Por serem amadoras e não profissionais, a maioria das empresas não consegue satisfazer seus clientes, resultando na dificuldade de manter e fidelizar sua clientela.

Um cliente satisfeito presta menos atenção às ações de marketing dos concorrentes e, ainda, fala bem da sua empresa, propiciando ao seu negócio o mais eficiente modo de propaganda: a chamada propaganda “boca a boca”.

Pesquisas indicam que um cliente satisfeito fala bem daquela empresa para, aproximadamente, três pessoas. Já o cliente insatisfeito, comenta sobre sua insatisfação para nove pessoas. Por isso é comum ouvirmos mais pessoas criticando do que elogiando empresas.

Desta forma, entendendo que a gestão tem importância estratégica para a manutenção e crescimento dos negócios e que o conhecimento de seus conceitos e ferramentas podem contribuir com as empresas do Juruá, iniciaremos, neste espaço, a apresentação textos ligados a temática Gestão e Negócios. O objetivo é compartilhar experiências, contribuir com o debate e oferecer informações que julgamos úteis para administradores, gerentes e proprietários das empresas locais.

     

César Gomes de Freitas é professor do Instituto Federal do Acre (IFAC). Possui Pós-Doutorado pela Universidade Federal Fluminense, doutorado pelo IOC/Fiocruz, mestrado pela UCDB e é bacharel em Administração e Ciências Contábeis.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.