Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

Auxílio emergencial começará a ser pago a informais em abril; veja programação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Depois de aprovada a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o governo começa a definir os critérios para pagamento do auxílio emergencial . Os primeiros a receber serão trabalhadores informais, no início de abril. O plano do Ministério da Cidadania era fazer repasses do novo auxílio no dia 18 de março para os beneficiários do Bolsa Família. No entanto, o cronograma previa que a PEC fosse promulgada ainda nesta semana, o que não ocorreu.

Caixa já planeja manter abertas 700 agências também aos sábados, das 8h às 12h aos sábados, em fins de semana a serem ainda definidos. No ano passado, o funcionamento especial foi adotado em 22 sábados.

O crédito em conta poupança para os trabalhadores informais ocorrerá todos os dias, inclusive aos domingos. Ou seja, o depósito não ocorrerá apenas em dias úteis.

Para evitar aglomerações, a orientação é estimular os beneficiários a utilizar o aplicativo Caixa Tem para movimentar os recursos creditados na conta poupança. Eles poderão pagar boletos, contas de concessionárias e efetuar compras. Será preciso esperar alguns dias para sacar ou transferir o dinheiro para outras contas.

O banco está orientando os usuários do Caixa Tem a renovarem o cadastro no aplicativo, a fim de evitar as fraudes. A atualização começa no próximo domingo, para nascidos em janeiro. Quem não incluir novas informações não deixará de receber as parcelas, assegura a Caixa.

Essa nova fase do programa deverá abranger 46 milhões de famílias . O benefício deve ser pago a apenas um membro da família, no valor de R$ 250 , por quatro meses. Mulheres com filhos terão direito a uma cota mais alta, de R$ 375, e pessoas que moram só receberão um valor menor, de R$ 150.

Ficam de fora 17 milhões de beneficiados

Pelo menos um em cada quatro brasileiros que receberam o auxílio emergencial ano passado deixará de receber os recursos este ano, com a definição do teto de R$ 44 bilhões pela PEC Emergencial , aprovada pelo Congresso. Na ponta do lápis, 17 milhões de pessoas ficarão sem o auxílio, que deve começar a ser pago em abril. Os estados mais impactados serão Piauí, Bahia e Ceará.

Os cálculos foram feitos pelo movimento Renda Básica que Queremos, responsável pela campanha #auxilioateofimdapandemia e que é integrado por várias organizações. Essa redução terá efeitos negativos tanto para o comércio, já que no ano passado do total de 68,2 milhões de brasileiros que receberam o auxílio, pelo menos 53% gastaram com a compra de mantimentos. Também vai impactar os cofres dos municípios, já que a arrecadação tende a ser menor.

No ano passado, o auxílio emergencial injetou R$ 294 bilhões na economia brasileira e um total de 68,2 milhões de pessoas receberam ao menos uma parcela do auxílio emergencial de R$ 660. Agora, com valor médio de R$ 250, os recursos não serão suficientes para comprar sequer 25% da cesta básica, diz o movimento.

Fonte: IG.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.