Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

Biden propôs a Bolsonaro união no combate à pandemia, diz Planalto

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações do G1.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Palácio do Planalto informou nesta quinta-feira (18) que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, enviou uma carta ao presidente Jair Bolsonaro na qual defendeu que os dois países “unam esforços” para enfrentar a pandemia do novo coronavírus e desafios da agenda ambiental.

A nota foi divulgada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), vinculada ao Ministério das Comunicações. A Secom não divulgou a íntegra da mensagem de Biden.

Segundo a secretaria, a carta é de 26 de fevereiro e respondeu mensagem enviada por Bolsonaro a Biden para cumprimentá-lo pela posse em janeiro. O presidente brasileiro apoiou a reeleição de Donald Trump.

“O presidente Biden saudou a oportunidade para que ambos os países unam esforços, tanto em nível bilateral quanto em fóruns multilaterais, no enfrentamento aos desafios da pandemia e do meio ambiente, em alusão ao caminho para a COP26 e para a Cúpula sobre o Clima, esta última a ser sediada pelos EUA em 22 de abril próximo”, diz a nota do Planalto.

Vice-presidente dos EUA no governo de Barack Obama, Joe Biden venceu a eleição disputada em novembro, mas Bolsonaro não o cumprimentou na ocasião se apoiando nas alegações de Trump, sem provas, sobre fraudes na votação. Bolsonaro endossou a tese de Trump e só enviou mensagem a Biden em 15 de dezembro.

Já em 2021, Bolsonaro enviou outra mensagem a Biden em razão a da cerimônia de posse, em 20 de janeiro.

Na carta, o presidente brasileiro disse ser “grande admirador dos Estados Unidos” e que, desde de que assumiu o poder no Brasil, passou a “corrigir” o que chamou de “equívocos de governos brasileiros anteriores”, que, segundo o presidente, “afastaram o Brasil dos EUA”.

A carta de Biden

Conforme o governo brasileiro, Biden “salientou que seu governo está pronto para trabalhar em estreita colaboração com o governo brasileiro neste novo capítulo da relação bilateral”.

Ainda de acordo com o Planalto, Biden “sublinhou que não há limites para o que o Brasil e os EUA podem conquistar juntos” e destacou o histórico dos dois países na “luta pela independência, defesa de liberdades democráticas e religiosas, repúdio à escravidão e acolhimento da composição diversa de suas sociedades”.

Sobre a pandemia, a presidência informou que Biden defendeu que Estados Unidos e Brasil “unam esforços, tanto em nível bilateral quanto em fóruns multilaterais, no enfrentamento aos desafios da pandemia”.

O Brasil soma mais de 285 mil vidas perdidas para a Covid-19. Hospitais de todo o país estão superlotados, há fila por leitos de UTI nos estados, há relatos de falta de itens de proteção individual e de insumos.

Segundo o Planalto, Biden também defendeu união na preservação do meio ambiente. No ano passado, durante a eleição presidencial, o então candidato democrata disse que buscaria “organizar o hemisfério e o mundo para prover US$ 20 bilhões para a Amazônia”.

Após essa fala, Bolsonaro afirmou, sem citar o nome de Biden que “quando acaba a saliva, tem que ter pólvora” ao se referir à Amazônia.

Íntegra

Leia a íntegra da nota divulgada pelo governo brasileiro:

NOTA

Em atenção à mensagem de cumprimentos recebida por ocasião de sua cerimônia de posse como 46º Presidente dos Estados Unidos da América, o Presidente Joe Biden dirigiu carta de agradecimento ao presidente Jair Bolsonaro, datada de 26 de fevereiro último.

Ao referir-se às diversas vezes em que esteve no Brasil como vice-presidente, o presidente Biden sublinhou que não há limites para o que o Brasil e os EUA podem conquistar juntos. Destacou que as duas nações compartilham trajetória de luta pela independência, defesa de liberdades democráticas e religiosas, repúdio à escravidão e acolhimento da composição diversa de suas sociedades.

Após enfatizar a responsabilidade comum dos dois líderes em tornar o Brasil e os EUA mais seguros, saudáveis, prósperos e sustentáveis para as gerações futuras, o Presidente Biden saudou a oportunidade para que ambos os países unam esforços, tanto em nível bilateral quanto em fóruns multilaterais, no enfrentamento aos desafios da pandemia e do meio ambiente, em alusão ao caminho para a COP26 e para a Cúpula sobre o Clima, esta última a ser sediada pelos EUA em 22 de abril próximo.

Ao final, o presidente Biden salientou que seu governo está pronto para trabalhar em estreita colaboração com o Governo brasileiro neste novo capítulo da relação bilateral.

Secretaria Especial de Comunicação Social / MCom

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.