Rio Branco, Acre, 15 de junho de 2021

CoronaVac e Oxford são eficazes contra variante de Manaus, dizem laboratórios

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Estudos preliminares mostraram que tanto a CoronaVac, vacina contra covid-19 do laboratório chinês Sinovac, quanto a vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca em parceira com a Universidade de Oxford mostraram ser eficazes contra a variante de Manaus do coronavírus. 

A pesquisa sobre a CoronaVac foi conduzida pelo Instituto Butantan, responsável pelo estudo clínico da vacina e que está envasando o imunizante no Brasil, disse uma fonte com conhecimento do estudo à Reuters hoje.

Segundo a fonte, o estudo foi feito por meio do exame de amostras de sangue retiradas de pessoas vacinadas com a CoronaVac e testadas contra a variante de Manaus, e os dados preliminares indicam que o imunizante foi eficaz contra a cepa. O estudo ainda será ampliado para a obtenção de dados definitivos. 

No caso de Oxford, a eficácia também foi comprovada em estudos preliminares feitos pela universidade inglesa e pelo laboratório AstraZeneca. A informação foi confirmada pelo diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma, que dirige a unidade da Fiocruz produtora de imunobiológicos.

A variante do coronavírus conhecida como P1 e originada em Manaus é apontada como mais transmissível do que cepas anteriores do coronavírus e, por isso, é vista como um dos fatores que levaram ao recrudescimento da pandemia de covid-19 no Brasil nas últimas semanas.

O Butantan já entregou 16,1 milhões de doses da CoronaVac, que é aplicada em duas doses, ao PNI (Programa Nacional de Imunização) do Ministério da Saúde. Além desse montante, o PNI conta atualmente com 4 milhões de doses importadas prontas da Índia da vacina desenvolvida em conjunto entre a AstraZeneca e a Universidade de Oxford, no Reino Unido.

O presidente do Butantan, Dimas Covas, disse anteriormente que a CoronaVac teve resultados “muito positivos” em teses feitos na China contra as variantes britânica e sul-africana da covid-19, também apontadas como mais contagiosas que cepas anteriores.

Vacina de Oxford também é eficaz

Os resultados do estudo sobre a vacina de Oxford/AstraZenece foram confirmados hoje pelo diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma, mas só serão divulgados ao longo desta semana.

A variante do coronavírus originada em Manaus, chamada de P.1., vem sendo apontada como um dos fatores que levaram ao recrudescimento da pandemia de covid-19 no Brasil neste ano, na contramão do que tem ocorrido no mundo.

A Fiocruz firmou parceria com a AstraZeneca para o envase e futura produção integral da vacina contra covid-19 no Brasil. Até o momento, 4 milhões de doses da vacina importadas prontas da Índia estão sendo aplicadas no PNI (Programa Nacional de Imunização) do Ministério da Saúde. 

A expectativa da Fiocruz é que as primeiras doses da vacina envasadas no Brasil sejam entregues ao Ministério da Saúde a partir de meados deste mês.

Com informações UOL

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.