Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

Em Cruzeiro do Sul, maioria da população não concorda com lockdown aos finais de semana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Com bandeira vermelha de atenção e superlotação das unidades hospitalares, o governo do estado decretou novas medidas de restrição para conter o avanço da Covid-19 em todos os municípios. O comércio em geral deverá funcionar durante a semana com restrição de capacidade e fechar aos finais de semana. Postos de combustíveis e supermercados também ficarão fechados no sábado, domingo e feriados.

A reportagem do Juruá em Tempo foi às ruas de Cruzeiro do Sul ouvir a população sobre o famoso “lockdown” aos finais de semana.

A opinião da maioria dos cruzeirenses é de que a medida não terá efeitos práticos, já que o comércio funcionará na semana e só fechará as portas aos finais de semana.

O taxista Adriano Santos, de 47 anos, afirma que a medida deve piorar a situação financeira dos autônomos em geral que precisam trabalhar todos os dias para receber.

“Para a população não é bom em termos de trabalho. Para nós já está difícil, e fechando tudo é que não vamos ter clientes mesmo. Infelizmente, essa pandemia está matando muita gente e vamos ter que acatar. Acho que não vai mudar, não adianta ficar a semana toda aberta e fechar no final de semana”.

O mototaxista Felipe Batista, de 21 anos, também não acredita que o lockdown trará efeitos relevantes para conter o avanço da doença.

“Esse lockdown não vai mudar nada. Mototaxistas e taxistas vão ter que trabalhar. Nós precisamos pagar aluguel, colocar comida na mesa, e precisamos muito trabalhar. O que vai mudar lockdown no final de semana e aberto de segunda a sexta? Precisamos manter mercados, postos de gasolina abertos. O que temos que fazer é usar máscara, álcool em gel e todos os cuidados necessários” (sic).

Já o conselheiro tutelar de Cruzeiro do Sul, Maxwuel, de 53 anos, diz que entende a intenção do governo e torce para que a medida tenha efeitos práticos.

“A expectativa é que diminua o índice de pessoas infectadas pela Covid-19 para evitar a superlotação, esse é meu entendimento. Tomara que dê certo; mas é melhor ser feito assim, mas não somente nos finais de semana, mas na semana também. Se a máscara evita, por que lockdown?”.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.