Rio Branco, Acre, 23 de abril de 2021

Empresários de Cruzeiro do Sul, parentes do governador, negam irregularidades em cotação de preços

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Nesta sexta-feira (12), os empresários Manu e Assem Cameli, Junior Melo da Cristal e alguns membros da Secretaria Estadual de Educação, núcleo de Cruzeiro do Sul, tiveram que mostrar documentos e dar explicações à Polícia Civil, acerca de supostas vendas de cestas básicas superfaturadas, para o governo do Estado, por intermédio da secretaria Estadual de Educação, núcleo de Cruzeiro do Sul. A Operação foi denominada de Pratos Limpos.

O vice-presidente da Associação Comercial do Alto Juruá Assem Cameli, contou que participou da cotação de preços, porém não venceu. Manu Cameli, irmão de Assem, também confirma que participou das cotações, mas não ganhou e nem cometeu irregularidade.

Assem Cameli falou ainda que, de sua não houve fraude na cotação de preços e pontuou a ação policial como absurda. “O governo comprou 41 mil cestas e só 3 mil de Cruzeiro do Sul. Eu sou empresário e participei dentro da legalidade. Achei um absurdo isso tudo”, afirma.

Junior Melo, da Cristal foi o vencedor da cotação, chegou a vender 3 mil cestas básicas para o governo. Além de empresas e casas de Cruzeiro do Sul, a Polícia Civil esteve na Secretaria Estadual de Educação, núcleo de Cruzeiro do Sul, cumprindo mandados de busca a apreensão.

A coordenadora do núcleo, Ruth Bernardino, afirmou que a Polícia queria detalhes do processo de compra. “A polícia veio até nós para saber como aconteceu o processo aqui na cidade. Os documentos comprovam a nossa legalidade e explicamos tudo”.

  • Com informações de Marcos Venicios, do AC24horas.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.